28 de mar de 2013

O drama do Armarinho - parte 2 - A solução


Olá!

Lembra que um dos meus primeiros posts por aqui foi um desabafo de não ter nenhum armarinho bom perto da minha casa?
Como eu fui encontrando bons armarinhos para resolver as minhas costuras, eu vi que, mesmo que eles não sejam próximos para mim, podem ser para você!
Então este post será atualizado constantemente com os bons armarinhos que eu encontrar...
Se quiser colaborar, é só colocar nos comentários que eu vou incluindo por aqui!

Quem sabe uma hora não aparece um aqui pertinho mas que eu ainda não tenha encontrado? Ou acontecer o mesmo com você, que está em outra parte da cidade?

Beijo e boas costuras!

--- xxx ---

São Paulo - Zona Sul

Bazar Mimura Ltda.
Rua Desembargador Bandeira de Mello, 477, Santo Amaro
Telefone: (11) 5686-2500
Armarinhos e aviamentos em geral
(muito organizado, já comprei rendas de algodão. Já levei um macacão jeans para colocar botões. No cartão de visita indicam ter cursos de tricô, crochê, tapeçaria, bordado, tear, corte e costura; forração de botões, colocação de botões jeans e de pressão, ilhoses e rebites; Conserto de zíper na própria peça; Montagem de zíper em metro.)

Loja Imperial Artesanato
Loja 1: Rua Senador José Bonifácio, 58, Santo Amaro
Telefone: (11) 5548-5114
Loja 2: Rua Vera Cruz, 49D, Santo Amaro
Telefone: 5524-6606
Fios de Lãs e Linhas, Armarinhos em Geral
(muito organizado, ótimo para comprar lãs e linhas para tricô e crochê. Comprei o Renova Cobertor recentemente, mas quando fazia muito crochê e bordado, era lá que eu encontrava todos os materiais. Sempre fui na loja 1)

São Paulo - Zona Oeste

Zuza Armarinhos
Rua Fradique Coutinho, 514, Pinheiros
Telefone: (11) 3812-3666
(É uma loja lotada - de verdade - de coisas por todos os lados e, quando eu fazia aulas de costura na região, comprava tudo o que precisava lá)

São Paulo - Centro

Armarinhos Metrópole
Rua Comendador Abdo Schain, 62, Centro
Telefone: (11) 3313-4870
(A loja fica em uma daquelas pequenas galerias na região da 25 de março. Costumo achar ferramentas para costura, acessórios para máquina, linhas, zíperes, entretelas e feltros/forrobel/acoplado para estrutura. Quando compro tecidos na região da 25 de março, já dou um pulo lá para comprar os aviamentos que preciso para costurar.)

Comercial Maluli
Rua 25 de Março, 717/719, Centro
Telefone: (11) 3311-8453
(Também faço uma visita quando estou no Centro. Eles vendem aviamentos em pacotinhos fechados como rendas, fitas e elásticos. Também dispõem de ferramentas para costura. Já comprei agulhas, alfinetes, régua, mosca branca e bobinhas altas de metal para a Velhinha. Atente apenas para os itens que só são vendidos em pacotinhos fechados, eu mesma já comprei um pacotinho com 10 folhas de carbono branco para tecido, que provavelmente eu vou levar o resto da minha vida para gastar, rs!)

27 de mar de 2013

Por que aprender a costurar?

Dia desses, uma graaaaaande amiga minha pediu a minha opinião sobre ela começar um curso de costura onde ela mora. E disse pra mim que nunca havia pregado nem um botão na vida.
Eu respondi prontamente, de maneira muito tendenciosa, rs!

Procurei enumerar o que veio à cabeça na hora, pra mostrar que saber costurar à mão e à máquina só tem vantagens:
- fazer um conserto simples sozinha, como aquele pedacinho que descosturou da roupa
- colocar direitinho o botão que caiu da camisa
- fazer uma barra naquela roupa que só por estar muito comprida está sendo pouco usada
- fazer projetos simples para a casa, como almofadas e toalhas de mesa
- customizar uma camiseta simples aplicando uma renda bonita
- fazer um acessório para o cabelo usando aviamentos bonitos

Tingi um tule branco com chá preto para ficar com uma cor de coisa "antiguinha", apliquei nele uma renda bonita, coloquei uma fita de organza por baixo, tudo à mão... e virou um enfeite para o cabelo!

Apliquei à mão uma renda creme perto da região do ombro da camiseta cinza mescla. 
Até hoje ela é uma das minhas favoritas!

Antes de Velhinha vir morar aqui em casa, pegava a máquina da minha mãe emprestada por um ou dois dias para costurar coisas simples como fazer barra em tecido soft e assim o cachorro ganhava um cobertor novo. (é absurdamente fácil e absurdamente mais barato!)

Ou seja, mesmo que a pessoa não queira trabalhar com algo que precise saber costurar, este conhecimento sempre terá utilidade!

Sabendo unir um tecido ao outro e colocar um zíper, por exemplo, já é suficiente para fazer uma necessaire para uso próprio ou para dar de presente (adoro!)

Estojo que fiz na aula de costura em que aprendi a colocar zíper.
 Virou a minha necessaire de maquiagem que uso até hoje!

Lógico, se o interesse aumenta, outras coisas podem vir pela frente: costurar roupas, fazer patchwork e com a técnica montar peças lindas... Com os tecidos que temos em casa também podemos nos aventurar a usá-los em encadernação ou em cartonagem...

Quando eu me casei eu já sabia costurar à mão e uma das primeiras coisas que fiz ao mudar para a minha casa foi montar um kit de costura com as cores de linha mais "comuns" como preto, branco, azul marinho, agulhas de mão, tesourinha, alfinetes e uma peça de elástico (esse último por total influência da minha mãe, que resolve um monte de coisas usando elástico, como prender aquele lençol que insiste em sair debaixo do colchão à toa).

O interesse por aprender a costurar à máquina veio em 2011, quando estava sem trabalhar e queria aprender algo novo que eu pudesse usar para trabalhar depois, já que sempre gostei de atividades que tenham que usar manualidades em algum momento...

No fim das contas, nunca vendi nada que costurei até hoje, por opção. Estou sempre fazendo algum tipo de aula para aprender mais e acabei conhecendo lugares e pessoas que eu não imaginava poder ter contato tempos atrás.

Com as máquinas de costura portáteis, você pode costurar em qualquer cantinho da casa com uma mesa... Terminou é só guardar... Eu comecei usando a máquina da minha mãe na cozinha mesmo. Depois que ela me deu a Velhinha, acabei montando um quartinho de costura em um cômodo da casa, mas sei que normalmente a gente não tem um cômodo todinho à disposição nos dias de hoje.

E sim, a minha maior recompensa é poder presentear alguém com algo que eu fiz ou usar uma peça que eu costurei. Ajudou muito na minha auto-estima e também acredito ter deixado algumas pessoas felizes nesse tempo...

Meu foco atualmente é aprender bem a modelagem feminina para que eu possa fazer vestidos para mim e também poder ajustar peças que eu tenho.
Também estou procurando aprender outras técnicas que usem tecido, pois uma coisa pode sempre complementar a outra... A próxima da lista será aprender a fazer patchwork!

E você, sabe costurar?
O que te levou à agulha e linha?

Beijo!

(OBS: Todas as fotos deste post são de 2011, meses antes da chegada da Velhinha aqui em casa... Tá vendo como saber costurar é sempre bom?)

26 de mar de 2013

Patch Encontro Lu Gastal

No dia 16 eu fui visitar a Lu Gastal, que veio à São Paulo para mais um Patch Encontro, de onde saíram muitas Tildas lindas!

Acabei não participando de nenhuma oficina, pois não consegui me programar como gostaria. Ainda assim, aproveitei a ida para reencontrar uma grande profissional que admiro à distância e que é uma graça de pessoa! Como não querer papear por horas com essa moça linda do sotaque sul que eu adoro?

Simultaneamente com as oficinas, Lu Gastal montou um bazar com itens lindos que contavam com moldes, tecidos, acessórios, tudo com um pé lá no quarto de costura.

Acabei trazendo para casa uma caixinha de música em forma de máquina de costura (Vivi Basile, sua maquininha agora tem uma irmã aqui em São Paulo!) e o molde para a linda xícara de tecido.
Já saí de lá imaginando minhas bobinas guardadas dentro de uma dessas! Acho que vou fazer uma para acompanhar cada máquina daqui de casa!

Velhinha e mini Velhinha: amor em dobro!

Saí também com o convite (ou seria convocação? rs!) para ir conhecer o Estudio Lu Gastal lá em Porto Alegre. Estou me programando para poder ir o quanto antes!

Terminei o dia muito feliz, com o pensamento de como a costura tem me proporcionado conhecer tantas pessoas legais, de lugares diferentes! Para mim, esse é um retrato de como o artesanal tira proveito das modernidades, você não acha?

Com a linda Lu Gastal!

Beijo!

25 de mar de 2013

Costuras da Semana (ou não)!


Cadê o post de “costuras da semana” que deveria estar aqui?
Pois é, na última semana eu não consegui costurar nada... E quando me dei conta disso fiquei tristinha em furar com o blog e comigo mesma...

Mas aí é que eu vi que não tinha conseguido costurar porque essa semana foi cheia de bons encontros: com a amiga de Londres que estava em São Paulo (beijo, Fer!), com os amigos queridos onde a conversa flui levemente em qualquer assunto (beijo, Ju e Dan!), com a amiga da costura mais querida (beijo, Ana!), além de algumas pesquisas para costuras futuras.

Encerrando a semana, uma festa em casa reunindo um tanto de gente da minha família para comemorar os aniversários de meu pai, minha mãe e minha tia!
Veio um monte de gente, todos convidados por telefone por meus pais, como se fazia antes dos eventos no Facebook... Uma delícia!

Chego ao final desta semana (na verdade, já no começo de outra) com essa sensação de que a gente tem tanta internet para facilitar a nossa vida, mas se não colocarmos a mão na massa para estar perto de quem a gente gosta, para fazer melhor o que a gente gosta e se propõe a fazer, não adianta nada, né?

Já esta semana tem bastante costura PRO-GRA-MA-DA, porque estou com saudades das minhas maquininhas e do meu quartinho... E com muitas ideias também!

Tesouras, agulhas e alfinetes, me aguardem!

Beijo e boa semana!

19 de mar de 2013

Pra quem ama Moda e Paris

Quem me conhece sabe que eu gosto de usar vestidos.
Estampados, lisos, claros, escuros, pra usar com sapato, com tênis, de dia, de noite.
Arrisco a dizer que 80% do meu guardarroupas está preenchido com vestidos.
E uma boa parte deles é da Lascivité, loja da minha querida amiga Camila.

Lá eu sempre encontro roupas lindas que combinam comigo e com o meu "corpinho", de quebra tenho uma amiga com quem posso compartilhar as minhas descobertas, revoltas (acontece, rs) e também o que tenho aprendido no mundo das costuras.

Em um desses papos deliciosos lá na Vila Madalena, eu contei como tinha ficado impressionada com a qualidade e variedade de aviamentos dos armarinhos de Paris e que ficava triste em não encontrar nada à altura aqui no Brasil (tá vendo? revolta, rs!).

Daí surgiu o convite para que eu contasse o que eu tinha achado de legal naquela viagem e eu topei na hora! O que era pra ser um post acabou virando uma série que eu preparei com o maior carinho!
Aqui vão os links para quem quiser ler!

O primeiro post, sobre o Museé d'Orsay e a exposição sobre Impressionismo e a Moda (que terminou em janeiro):
http://blog.lascivite.com.br/2012/12/les-petits-secrets-de-paris-musee-dorsay.html

Onde comprei tecidos em Montmartre:
http://blog.lascivite.com.br/2013/01/les-petits-secrest-de-paris-dicas.html

Sobre as Merceries (o equivalente aos nossos Armarinhos, aumentando o meu "drama", rs):
http://blog.lascivite.com.br/2013/01/merceries-em-paris.html

O Chocolate Quente de Paris, em vários lugares (com o outono chegando, tem tudo a ver, né?!):
http://blog.lascivite.com.br/2013/02/le-petits-secrets-de-paris-le-chocolat.html

Eu fico revendo as fotos que fiz para estes posts e lembrando da minha falta de jeito como modelo, hehehe! Mas eu adorei a paparicação e o resultado!!!

Em breve voltarei ao blog da Lascivité com posts sobre a última viagem que fiz. Para mim é uma delícia ver meus textos por lá, em meio aos textos e imagens sempre lindos e inspiradores!

Na última semana "apareci" no Facebook e no blog da Lascivité, quando este singelo blog foi divulgado por lá! Não é muito prestígio? Adorei!



Cá, você sabe o quanto eu admiro você como amiga e como empreendedora à frente da Lascivité!

Beijos!

18 de mar de 2013

Costuras da Semana!

Olá!

Resolvi fazer este post, que será semanal, para compartilhar com vocês o que andei costurando.
Eu sempre coloco alguma coisa no meu instagram (segue lá: @katialinden) enquanto estou fazendo ou quando termino, mas aqui sempre terá o apanhado da semana!

Bom, semana passada a Novinha chegou e as costuras foram feitas um pouco nela e um pouco na Velhinha.

Comecei por uma blusa que estava no livro "Um Pedaço de Tecido" de Lena Santana.
Ganhei o livro e o tecido de flores e andorinhas da Ana, uma grande amiga que também ama costura.
Neste livro tinha o projeto que achei perfeito para usar os dois presentes de uma vez só.


Duas coisas que amo num mesmo tecido, flores e andorinhas, como não ficar feliz?
Nesta foto, colocando a faixa de rendas de algodão na peça com a Velhinha.

A blusa estava pronta na semana retrasada, ainda feita com a Velhinha. O projeto usa a costura francesa para fechar a peça sem precisar de ziguezague ou overloque, o que para mim era ótimo quando só tinha a Velhinha para costurar.

Até levei a blusa terminada para usar lá em Brasília, mas o comprimento dela ainda não estava como eu queria... Hoje, bem inspirada, cortei uma bela tira de um tecido da Liberty com estampa de paisley e modifiquei a blusa.



Aqui, a blusa prontinha! 
Adorei a combinação dos tecidos e das rendas da faixa!

A Novinha chegou semana passada e eu resolvi começar por algo bem simples, só pra me familiarizar com a máquina e os ajustes dela. Pode parecer bobeira da minha parte, mas como usei uma máquina muito antiga por um certo tempo, eu acabei notando diferença na hora de usar uma máquina mais nova e com mais opções de ajustes.

Então, a primeira costura de Novinha foi a barra da toalha de feltro verde para os momentos de jogatina em casa. Cortei num tamanho para usar na minha mesa (que não aguenta mais as pancadas das pedras de dominó, rs) e fiz uma barra simples, só para dar um acabamento.


Depois, com tempo e materiais em mãos, quero colocar alguma decoração na toalha. 
Quem sabe os tradicionais naipes em preto e vermelho?

Agora que já me entendi com Novinha, comecei a acelerar o uso dela. Sábado de manhã fiz uma capa dupla face de tecido para ela, com a mesma combinação de tecidos que usei na capa da Velhinha.

O tecido florido foi comprado em Paris e os dois tecidos com motivos de moldes vintage foram comprados em Berlin. 

 E Novinha já tem sua capa!

Já estou planejando as costuras desta semana! Estou bem animada!
Espero que tenham gostado!

Um beijo!

15 de mar de 2013

O drama do Armarinho - Parte 1 - O desabafo

Olá!

Eu cresci em um bairro que tinha (melhor, ainda tem) de tudo um pouco bem pertinho: padaria, mercadinho, "sacolão", bazar, dentista... E dos 14 aos 16 anos eu trabalhei em um bazar, acho eu que o maior do bairro. Para mim a definição de bazar é de ser a loja do bairro que tem itens de papelaria, aviamentos e presentes.

Lá no antigo Bazar Colonial era assim e as pessoas podiam comprar toda a lista de material escolar no começo do ano, presentes pro Dia das Crianças (nunca esqueço do ano da febre pelos bonecos dos Cavaleiros do Zodíaco, rs) e itens para aquele conserto das costureiras eventuais e também para as que tinham a costura como trabalho. Sim, elas sempre estavam por ali.

Lá eu aprendi um tantão de coisas, numa época que a mulherada tirava moldes em papel manilha (aquele cor de rosa) e que papel craft ainda era chamado de papel pardo. Ok, eu sei que isso tudo denuncia que eu não tenho 20 anos de idade, mas aí é que entra o meu "drama": Aqui na região que eu moro, não muito longe da casa onde eu cresci, não tem nenhuma loja assim...

Tem uma papelaria de dona super simpática, que troca figurinhas comigo pois também costura. Tem um bazar que ostenta um "onde tudo tem" na fachada, mas quase todas as vezes que fui lá não achei o que precisava.

Aí você pergunta onde pode achar aviamentos e a pessoa te diz: na Cidade Dutra (que é o bairro ao lado e que tem mais comércios por aqui) ou em Santo Amaro (que é o bairro que tem mais comércios que a Cidade Dutra). Isso quando não dizem pra ir na 25 de março (que eu sei que tem tudo, mas se eu preciso só de um zíper, não vou até lá pra comprar). Sempre sem saber indicar ao menos uma loja ou rua como referência pra começar a procurar.

Voltei ao bairro dos meus pais e ao bazar onde trabalhei e lá não tem quase nada do que tinha antes. A loja mudou muito, inclusive os donos, é pouco movimentada e até meio escura. A dona me disse que o que tinha de aviamento era pouco pois ela não estava repondo mais, já que as costureiras da região deixaram de costurar "pra fora" e a procura pelos itens tinha caído muito.

Ainda no bairro dos meus pais sobrou uma loja, um bazar bem movimentado e que resolveu o que eu precisava da última vez, mas para isso tive que pegar o carro e dirigir uns 4km (que pode levar 10 minutos ou 1 hora, sério, dependendo do trânsito).

A senhora da papelaria aqui perto de casa me indicou dois lugares no bairro ao lado (a tal Cidade Dutra), sendo que a melhor lojinha na opinião dela tinha acabado de mudar para um outro local meio longe daqui. Ainda não comprei nada na loja que restou, mas pelo menos sei onde tem uma para tentar.

Eu acho tudo isso curioso, pois agora que eu sei costurar um tanto eu vejo que realmente a costura ficou  "no limbo" por algum tempo... As costureiras dos bairros não existem mais e as novas costureiras estão tendo que rebolar para conseguir seus materiais sem perder muito tempo e ir longe.

A minha dúvida é: será que isso só acontece por aqui?

14 de mar de 2013

Cola no lugar de linha!

Não sei para vocês, mas quando vejo um tecido lindo acabo pensando automaticamente no que eu posso fazer com ele através da costura. Ainda assim, eu resolvi que este ano eu quero aprender mais usos pros tecidos, ainda que sem usar a costura.

A primeira novidade para mim foi aprender um pouco de cartonagem e forração francesa.
Fiz uma aula em fevereiro com a Claudia Wada na Casa do Restaurador e saí de lá com uma caixinha para o marido guardar relógios e as coisinhas que ele costumava abandonar em cima da minha penteadeira, rs!


Eu adorei usar ferramentas novas e aprender novas técnicas! O mais curioso foi observar que, pelo menos entre as pessoas que fizeram a aula comigo, parece que quem é chegado em costura não é chegado em cartonagem e quem gosta de patchwork (que está na minha lista para este ano) parece não gostar tanto da costura "tradicional" de roupas e acessórios...
Será que foi só impressão minha?

Devo voltar em breve para mais uma aula (ou talvez duas) para mais projetos que quero fazer.
A programação dos próximos cursos está aqui. Quem sabe a gente não se encontra por lá qualquer hora dessas?

E semana passada, aproveitei a vontade de querer aprender encadernação com a vontade de visitar o Ateliê Basile em Brasília e reencontrar a querida Vivi e conhecer pessoalmente a Maila.

Foi uma delícia! Além de fazer turismo e fotografar muito a capital do país, eu saí de lá com dois cadernos lindos, a cabeça leve e a alegria de ser muito bem recebida!

 Congresso Nacional e Palácio do Itamaraty, incríveis!

 Trouxe um pedaço do Ateliê Basile pra casa, pois o caderno de costura foi feito com o mesmo papel de parede de lá! 
E essa almofadinha linda?

 O caderno feito com tecido lindo, costura borboleta e elástico pra encaixar a caneta.
 Projeto mais que caprichado!

Vivi e Maila com alguns dos projetos do Ateliê! 

Já estou com saudades desta dupla, do Ateliê e dos cupcakes de banana!
Quer ver mais fotos lindas do sábado passado? Elas fizeram um post fofo!
Quer ver a agenda das próximas aulas? Tem aqui!

Beijos!

13 de mar de 2013

Minhas máquinas

Bom dia!
Acordei hoje pensando "mas que coisa, comecei o blog na segunda-feira e já pulei um dia de postagem ..."
Mas a desculpa que eu posso dar é que "foi por um bom motivo"!
Ontem eu recebi a minha máquina de costura nova e, logicamente, eu fiquei instalando e namorando a novidade...

Então, hoje vou mostrar minhas queridas!

Até uns dois anos atrás eu era uma daquelas pessoas que achava que a máquina de costura "mordia" a gente, pois cresci com uma por perto e a minha mãe sempre esteve disponível pra me ensinar... E eu nada de dar bola!
Aí como o mundo dá voltas, eu aprendi a costurar fora de casa e quando eu vi que estava na hora de ter uma máquina de costura, minha mãe me deu a dela.

O mais legal é saber que esta máquina está na minha família há 50 anos e funciona muito, muito bem!
Apresento a vocês a Velhinha!


A Velhinha foi a primeira máquina de costura da minha mãe, ou seja, já costurou muito nessa vida! A sensação de tê-la aqui funcionando é muito boa, uma sensação de continuidade, sabe? Já costurou roupa pra minha mãe, pra mim e agora eu costuro pras meninas da minha família, como a minha afilhada!

Ela só costura reto e está quase toda original, inclusive o móvel de madeira com os pés de ferro que eu adoro! Só foi trocada a chapa da agulha e foi colocado um motor elétrico. Os pontos são sempre perfeitos e só tenho trabalho com ela quando ela cisma de não querer mais costurar se eu não lubrificá-la e deixá-la quieta por uns dias, rs!

Apesar de eu ser super feliz com a Velhinha, eu comecei a sentir falta de uma máquina que fizesse acabamentos (pois não dá pra resolver tudo com a costura francesa), que facilitasse na hora de fazer coisas sem ser à mão como casear e fazer ponto invisível e que aguentasse tecidos mais espessos (o espaço abaixo do pé calcador da Velhinha é pouco, o que atrapalha, por exemplo, fazer barra de calça jeans).

E aí decidi comprar uma máquina nova que fosse robusta e que atendesse esses pontos. Depois de muito pesquisar e pedir opiniões, cheguei à conclusão que a Facilita Pró da Singer era a melhor opção.


A Novinha chegou ontem depois de 10 DIAS de espera (O Sr. Correio já foi bem melhor, né?! Dez dias pra mandar uma caixa de Jundiaí pra São Paulo? Como pode? #desabafo) e só fiz uns testes com o ponto reto e com o ziguezague. Os pontos decorativos e flexíveis eu ainda não consegui testar...

Agora um monte de coisas que eu pensava em fazer mas estava limitada ao ponto reto da Velhinha vão poder sair do papel, estou bem animada!

E você? Quem é sua companheira de costura?
Vou adorar saber!

Beijo!

11 de mar de 2013

Craft mais jovem, moderno e brasileiro!

Quando eu conto que costuro e que estou aprendendo modelagem feminina, algumas pessoas se espantam... Muitas pessoas mais ou menos da minha idade não sabem nem pregar um botão, basicamente porque aprender esses "dotes" parecem ter pulado uma geração.
Observando a minha própria família materna, minha avó sabia costurar, crochetar e tricotar. Minha mãe também. Mas eu acho que eu sou a única da família que aprendeu a bordar (ponto cruz, ponto cruz duplo, vagonite e outros mais), fazer crochê e costurar à máquina. Que eu saiba, minhas primas não sabem e as filhas mais crescidinhas delas eu acho que também não.
Vai ver que tudo isso parecia muito antiquado, careta e comprar pronto era melhor e mais fácil. Precisando de um consertinho, era só pedir para a mãe fazer. Eu também pensei assim por um certo tempo... O bom é que não só a costura rejuvenesceu de uns anos pra cá, como outras técnicas manuais também.
Aqui vai o post da querida Marcela Stump (ou Má Cola) para o blog do Elo7 num apanhado muito legal dos últimos 5 anos do craft no Brasil!

Beijos e boas manualidades!

OBS: O blog está bem simples ainda, mas aos poucos eu vou incrementando tudo. É só para não deixar de registrar o que já estava na minha cabeça!

Passando a linha na máquina...

Olá!
Estou começando este blog depois de ficar uns dias com ideias pipocando na cabeça...
Adoro costurar e quero compartilhar aqui as novidades, o que eu tenho feito e levantar questões que me deixam encucada...
Espero que goste!
Beijo!

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails