31 de mar de 2015

Coelhinho da Páscoa - Projeto Lu Gastal

Olá, pessoal!

Ainda dá tempo de falar sobre a Páscoa?

Em um dia da semana passada, ao abrir meu Facebook, dei de cara com esse vídeo da linda e loira Lu Gastal, ensinando a fazer um coelhinho muito fofo. A matéria completa está aqui.

 

Aqui você pode baixar o molde.

Faz um tempo que eu estava em busca de um molde de coelhinho, queria fazer um para enfeitar a Páscoa da Julia, mas eles me pareciam bem trabalhosos. Esse da Lu é super simples e rápido de fazer.

Para vocês terem uma ideia, comecei a fazer após o almoço e levei em torno de uma hora para fazer meu primeiro coelho. Gostei tanto, me diverti e achei o resultado lindo, então parti para o segundo coelhinho.

Veja como ficaram:



Eu queria muito guardar para presentear a Julia apenas no domingo de Páscoa, mas não consigo guardar surpresa, ainda mais quando ela é feita por mim... quero logo ver a reação dela ao receber o presentinho que fiz com tanto carinho.

Preciso dizer? Ela adorou e me perguntou: “Mamãe, como é que você fez essa mágica?”
Me deu aquela sensação deliciosa da alegria de uma criança durante a Páscoa.
É assim que eu desejo que seja a sua Páscoa, cheia de alegria, com esse sentimento de renovação.

Ah! Aproveita e faz o coelho da Lu Gastal, é sucesso garantido!

Beijoca,
Ana

30 de mar de 2015

Costuras da Semana!

Olá!

Esta semana foi meio atrapalhada em vários sentidos, mas as costuras andaram lindamente por aqui para compensar, oba!

Na aula de Partchwork terminamos a carteira. Ficou com um tamanho muito bom, além de ter ficado uma graça! Amanhã vamos fazer o último projeto do conjunto, que é a bolsinha para celular.


Pronta!


Detalhe do Flying Geese do lado de fora.


Detalhe do Flying Geese do lado de fora.


Dentro: Bolsinho central para moedas e à direita tem porta cartões.


Dentro: à esquerda têm dois bolsos para as notas.

À partir da semana que vem trocarei de turma e de horário para iniciar o próximo bimestre com projetos para o ateliê. Estou ansiosa para conhecer minhas novas colegas e também já estou com saudades antecipadas das queridas companheiras com quem convivo há um tempão!

No meio da confusão toda (cheguei a perder a primeira prova de alemão do ano, para dar uma ideia), lá fui eu fazer o vestido Monetta. Costurei toda a parte de cima na máquina, já que é forrada e os acabamentos ficam embutidos. A parte de baixo foi feita com a ajuda da overloque e a barra costurada com agulha dupla.

As duas máquinas costuraram lindamente esse jersey que trouxe de Paris no ano passado, adoro quando a costura rende e nenhuma das máquinas (nem eu) empacam com tecidos diferentes!


Pronto!



Arrisquei fazer um tamanho menor e acho que me dei bem, ficou certinho no corpo. Achei bem parecido com o modo de fazer do Myrtle na parte de cima, já que o próprio forro já dá um acabamento. A parte do elástico foi até fácil, ufa!

 
Parte de cima forrada, ajuda a não ter transparência e ainda deixa o acabamento bem bonito!


Gola redondinha, detalhe fofo.

O que eu achei mais bonito foi o detalhe da gola nas costas, com duas pontinhas que se sobrepõem, uma graça!





Terminei o vestido na 6a feira e no sábado já fui estrear no Lollapalooza. Logo eu mostro por aqui!

Por enquanto é isso!
Beijos e boas costuras!

27 de mar de 2015

Look do dia - Jaqueta Bomber!

Olá!

Hoje eu vou mostrar uma peça muito especial (na verdade, todos os looks que eu posto, por terem alguma coisa que eu tenha feito, acabam sendo especiais, rs), quando eu usei a minha jaqueta bomber quiltada lá em San Francisco, em fevereiro.

Um fato curioso sobre minhas malas de viagem: sempre que eu vou viajar eu fico bolando com antecedência o que eu vou levar. Faço uma listinha com o que eu pretendo vestir em cada dia, sempre olhando a previsão do tempo. Na hora de montar a mala é rapidinho, a mala não vai com roupas demais ou com coisas que não combinam entre si.

Dessa última vez, com a correria pré-viagem que aconteceu (para eu poder deixar meu Astor em casa sem sustos, depois de passar por consulta médica e exames), eu saí colocando algumas roupas que eu queria levar em cima da cama e busquei combinações pra elas. Queria uma mala com aquele tanto de estampas que eu adoro usar e peças que combinassem bem entre si.

A mala seguiu viagem arrumada na medida certa, mas percebi que eu levei um monte de roupas pretas ou em cores mais neutras (lembra que eu contei aqui a minha história com roupas pretas?) e outras estampadas que combinariam bem com elas, quase tudo puxando pro azul. Aquela coisa toda da zona de conforto e tudo mais, né?!

Mas a peça central era a minha jaqueta bomber quiltada, por mim tinha usado todos os dias, hahahaha! Além de eu ter amado o resultado, ela deu conta do vento frio do final do inverno de San Francisco, oba!

Usei a jaqueta em dois dias diferentes, um deles para conhecer o quartel-general do Google. Lá eu estava com a jaqueta, camiseta básica (mas com aplicações nos ombros), mini-saia, meia calça e botas pretas.

E a pracinha com os Androids? Uma graça!

 

 

 

 

Jaqueta Bomber Quiltada: tecido de algodão da Liberty (comprado em Paris), forro de algodão egípcio da GJ (Centro de SP), manta de algodão do Armarinhos Metrópole (Centro de SP) e punhos de malha comprados no Bom Retiro. Molde da Papercut Patterns - Rigel Bomber Jacket - e adaptação para ser forrada e quiltada do blog da Liberty.
Camiseta: Hering
Mini Saia: C&A
Meia calça térmica: DIM (Paris)
Bota: Prego
Óculos: Chilli Beans
Batom: Flat Out Fabulous (MAC)

Em outro dia, usei a jaqueta para um dia de muito turismo. Fomos à Lombard Street (a rua mais sinuosa do mundo), Golden Gate, Crissy Fields e na Haight Street. Tudo muito lindo!

A gente vê esse sol todo nas fotos e realmente no sol não é muito frio. Mas na sombra e à noite não tem como ficar sem blusa!

Casal encantado com a Golden Gate!

 
Look do dia em Crissy Fields, com uma vista linda!

 

Jaqueta Bomber Quiltada: tecido de algodão da Liberty (comprado em Paris), forro de algodão egípcio da GJ (Centro de SP), manta de algodão do Armarinhos Metrópole (Centro de SP) e punhos de malha comprados no Bom Retiro. Molde da Papercut Patterns - Rigel Bomber Jacket - e adaptação para ser forrada e quiltada do blog da Liberty.
Camiseta: Zara
Calça de veludo stretch: Lascivité
Tênis: Adidas
Óculos: Chilli Beans
Batom: La Vie en Rouge (MAC)

OBS: E o que o meu cabelo fica bonito nessa cidade? Meu sonho era acordar assim todo dia aqui em SP! #sonhakatiasonha

A primavera já estava dando sinal, com lindas sakuras!

Lombard Street, a rua mais sinuosa do mundo! Descemos a rua de carro, beeem devagar!

 
Ficamos um tempão escolhendo os novos discos de vinil da Amoeba! Um sonho de loja!
 
Na Super 7, loja super nerd, compramos bonequinhos lindos!

Andar pela Haight Street também foi muito legal! A Amoeba e a Super 7 ficam lá!

Espero poder usar a jaqueta em SP logo, ela já é meu xodó!
Gostou?

Beijos!

26 de mar de 2015

Minha máquina de costura - Singer Facilita Pró 4423 - 2 anos depois

Olá!

Há alguns dias atrás, a minha Novinha (chamada oficialmente de Singer Facilita Pró 4423) completou dois anos de uso aqui em casa. Como passou rápido e quantas coisas legais eu produzi com ela! Assim como eu fiz uma avaliação dela após o primeiro ano de uso (post aqui), estou agora aqui contando como foi o segundo ano.

Aproveitei para ver os comentários nos posts sobre máquinas de costura daqui do blog para ver se tem algo que eu possa complementar. Parte das coisas que dão errado na hora de costurar eu resolvo repassando todas as linhas na máquina, testando depois num retalho do mesmo tecido a ser costurado se o ponto está certo (tanto de ele está bem feito quanto se escolhi o ponto certo para fazer o que eu queria), além de limpar e lubrificar a máquina periodicamente.


Minha Novinha, dois anos depois, com os mesmos bilhetinhos da primeira semana, rs!

Vou usar os mesmos critérios do ano passado, para poder comparar, ok?

Instalação:
Eu mudei a máquina de lugar na bancada ao longo do ano, depois que eu comprei a overloque. A instalação continuou simples.

Manuseio:
- Sobre encher bobinas e fazer a passagem das linhas na máquina, continua tudo ok. A única coisa é que a máquina tem aquele passador automático de linha na agulha e (não sei como) eu entortei um ferrinho bem fininho. Agora o passador não funciona mais, pois o ferrinho que entortou é exatamente o que entra no buraquinho da agulha levando a linha através dele... Já tentei desentortar mas não consegui. Como eu não quis levar numa assistência só por conta disso, eu comprei numa viagem no ano passado um passador avulso de linha adequado para usar em máquina de costura, da Bohin. Ele tem resolvido bem, ou vai no jeito tradicional mesmo (ou seja, passando a linha "na mão").

 Passador automático entortou e não encaixa mais na agulha, snif!

 Mas veio este passador francês avulso e resolveu o problema!

- Sobre o uso dos seletores: todos permanecem funcionando normalmente e eu continuo usando a minha cola sobre os pontos quando necessário (post aqui).
- Quanto a posição da agulha, já tive dificuldades de chegar à medida de margem de costura de 0,75cm usada normalmente em Patchwork. Fiz alguns testes e cheguei a esta medida de "pé de máquina" com 0,75cm deixando o seletor de posição de agulha no centro e a largura do ponto em "0". Quando eu não estou montando blocos de Patchwork, a largura do ponto reto fica entre "2" e "3".


"Ajuste fino" para chegar à margem de costura ideal para projetos de Patchwork. 
Seletor de posição da agulha no centro, seletor de largura do ponto no "0".

- Sobre o uso de linhas, permanece quase tudo igual. Para cones grandes eu deixo atrás da máquina e passo a linha em um ganchinho preso em uma prateleira logo acima da máquina (truque neste post). O pino inclinado que fica no centro da parte de cima da máquina eu uso apenas em conjunto com o cone grande ou com o pino removível (quando é um retrós pequeno de linha) quando uso agulha dupla, já que aí é preciso passar duas linhas por cima.


Duas linhas para costura com agulha dupla.

- Continuo a usar bobinas plásticas e também de metal, desde que sejam das bobinas mais altas. Não vejo diferença entre elas.
- A troca de agulhas e sapatilhas continua acontecendo normalmente, sempre que necessário.

Acessórios:
- Ainda não usei a sapatilha para bainha invisível. Eu até tentei, mas não consegui acertar como usar. Também nunca usei a sapatilha para pregar botões.
- Usei a guia de costura para quiltar alguns projetos (como a jaqueta bomber), mas só consigo usá-la em conjunto com a sapatilha de uso geral, ambos vieram com a máquina. Caso eu troque o pé calcador pelo pé para quilt reto (comprado separadamente), a guia fica frouxa e não dá para ser usada. Por conta disso, praticamente não tenho usado o pé para quilt reto.
- Sobre a sapatilha para costura na vala que eu comprei, no ano passado eu contei que não tinha me acertado com ela. Mas hoje em dia tem se mostrado muito útil. A última vez que usei foi para quiltar os jogos americanos feitos com a técnica de Foundation (post aqui). Era uma questão de adaptação minha mesmo.

Manutenção e problemas:
Como contei acima, não tive nenhum grande problema que tenha feito a máquina parar de funcionar, a ponto de ter que levar para uma assistência técnica. Só o passador de linha que está torto e eu substituí por outro avulso.
Continuo a limpar e lubrificar periodicamente, conforme eu mostrei neste post.
Sempre que a máquina não está em uso eu a deixo coberta com uma capa, para proteger do pó.
A máquina nunca fez nenhum barulho realmente estranho.

A respeito de barulho, duas coisas que eu diria para quem tem qualquer máquina de costura:
1. Lógico que quando costuramos tecidos mais grossos ou várias camadas, o barulho da máquina é um pouco diferente de quando costuramos um tecido bem fino, basicamente porque a máquina está sendo mais exigida, mas se a qualidade da costura permanece a mesma, não considero preocupante.
2. Se alguma coisa está errada com a passagem das linhas, pode ocasionar algum barulho diferente do habitual. O jeito é repassar tudo e ver se não tem nenhum restinho de linha enroscada onde não deve.

Dúvidas:
Depois de dois anos de uso eu considero não ter mais dúvidas em relação ao uso da máquina. No primeiro ano de uso eu solucionei o que surgiu, como a regulagem e utilidade dos pontos e também como limpar e lubrificar corretamente.

Avaliação Geral:
A minha avaliação geral permanece muito boa, a máquina não me deixou na mão nenhuma vez até agora, considerando que os projetos de costura aqui são um tanto variados: vão desde uma blusa levinha de seda, passando por camadas a serem costuradas e quiltadas no Patchwork e chegando a roupas com tecidos mais pesados como a lã (com forro, ainda por cima). Ano passado também passei a costurar malhas com esta máquina e deu tudo certo. Se não fosse o passador automático de linha ter entortado, não teria nenhum ponto "contra" sobre a máquina, mas considero isso algo pouco importante, já que não impede de usar a máquina. É só uma comodidade que não tenho no momento.

Honestamente, com base no uso que eu tenho feito nesse período, eu imagino ficar com essa máquina por um bom tempo, já que até o momento ela funciona super bem e não tive limitações com ela. Continuo recomendando!

OBS: Recentemente eu vi no site da Singer novas versões desta máquina e da 4411. Quanto às funções dos modelos mais novos eu não notei diferença nenhuma, me pareceu apenas uma mudança no visual da máquina, que agora está branquinha. Estou dando essa dica caso interesse comprar uma máquina como esta aprofundar a comparação e ver se reflete no preço também!

Ufa! Espero que este post seja útil e estou feliz que a máquina está funcionando super bem!

Beijos e boas costuras!

25 de mar de 2015

Preparativos para a Páscoa

Oi, gente!

Aqui no Brasil a gente tem esse costume de sair de um feriado e entrar no ritmo do próximo, não é mesmo? Então, acabando o Carnaval já começamos a pensar na Páscoa.

Em casa, não gostamos de fomentar o consumo de doces e muito menos o consumismo infantil. Então para fugir de uma Páscoa tradicional, precisamos botar a cachola para funcionar e deixar a criatividade trabalhar!

Ano passado a Julia pintou ovos de galinha e esse ano já pediu para repetir a atividade e olha só como foi:



 

Tinha que acabar em bagunça né?

Mas a mamãe ainda não estava satisfeita e queria muito fazer ovos de lã que viu outro dia na casa de uma amiga.

Achei então esse tutorial na internet e, como já tinha as lãs em casa (lembram dos anjos do natal, post aqui) foi só colocar a mão na massa!

Tive dificuldade para fazer a forma de ovo (sim, eu tenho duas mãos esquerdas), mas com paciência consegui moldar e enfeitar meus ovos.

Depois de ter terminado os ovos, tive a idéia de fazer um ninho para eles de lã, não ficou uma fofura?

 



Bom, espero que essas idéias inspirem vocês a preparar os próprios presentes com materiais simples e bonitos que lembrem os presenteados do verdadeiro sentido da Páscoa!

Beijoca,
Ana

23 de mar de 2015

Costuras da Semana!

Olá!

Semana passada foi de bastante trabalho no computador, para tirar o atraso dos dias em que ele esteve "interditado", mas consegui costurar bastante!

Na aula de Patchwork, continuamos a montagem da carteira com um detalhe na técnica de Flying Geese, acho que amanhã termino para poder mostrar! Aí faremos uma bolsinha para celular e assim vou concluir este conjunto (e olha que estou precisando de uma bolsinha destas, rs)!

Na 6a feira foi aniversário da minha tia Frederica, ontem foi o da minha mãe e hoje é o dia do meu pai. Resolvi fazer almofadas para presenteá-las. Minha tia sempre elogia as minhas almofadas quando vem em casa e eu nunca tinha costurado algo do tipo para presenteá-la. Já para a minha mãe, eu tinha prometido almofadas novas desde que meus pais mandaram reformar os os sofás da casa deles, no fim do ano passado.

Então lá fui eu costurar as almofadas. A primeira foi feita um kit com tecido e enchimento que eu tinha comprado na Panólatras, num bazar Ó Gente do ano passado. A estampa é fofa, parece ladrilho hidráulico e o tecido é uma sarja bem legal, por isso resolvi começar montando uma almofada simples com ele.



Aí fui pensar como seriam as outras três. Aproveitei que minha mãe e eu somos iguais no quesito cores fortes e estampas (rs) e fiz mais uma almofada simples com um tecido lindo da Cris Mazzer que eu achava uma judiação cortar apenas em pedaços para usar em Patchwork.



Com o que restou destas duas primeiras almofadas, fiz outras duas com a técnica básica dos quadrados e achei que ficou tão legal!




Detalhe do quilt nos quadrados do tecido de ladrilhos.




Detalhe do quilt nos quadrados do tecido "estampadão"

Eu fiz tudo meio que no improviso, pois quando eu tenho esses estalos eu não quero parar para sair para comprar material, aproveitei para usar o que eu já tinha em casa. Isso é uma das coisas que eu mais gosto no Patchwork: combinar de um jeito novo e assim dar novo uso aos materiais que temos guardados.




O conjunto ficou bom no sofá de casa, acho que na casa dos meus pais também vai ficar legal!

Terminadas as almofadas da minha mãe, fui pensar nas almofadas da minha tia. Escolhi tecidos que remetem a cores mais naturais e que casassem bem com as almofadas que ela já tem em casa, sempre pensando em combinar com cores claras ou com o crochê que ela faz lindamente. Usei a técnica do triângulo perfeito e fiz duas almofadas iguais. Para deixar mais moderninho, organizei os blocos para formarem um padrão de chevron.




Detalhe do quilt no chevron mais claro, feito com linho.




E elas também não ficaram legais no meu sofá? Rs!

Adorei os dois conjuntos e posso dizer que elas ficaram contentes com os presentes também! É tão legal poder presentear com algo que combina com cada pessoa, adoro!

Terminados os presentes, resolvi fazer um vestido novo (rs). Tá difícil eu conseguir me segurar, hehehe! Estou com o molde do vestido Monetta (da Colette Patterns) comprado desde o lançamento em abril do ano passado. Comprei o tecido para ele apenas em novembro e, desde então, estou esperando a hora de tirá-lo da "fila".

Malha com estampa de plumas, a próxima da fila a ver a tesoura!

Momento "não façam isso em casa": como ainda estou no processo de emagrecimento, tirei as minhas medidas e escolhi fazer um tamanho menor do vestido, contando que não precisarei ajustá-lo tão cedo. Vocês ficarão sabendo dos próximos capítulos, rs! #oremos

Por enquanto é isso!
Beijos e boas costuras!

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails