31 de mai de 2016

Dicas para Costurar Zíper Invisível!

Olá!

Se tem uma coisa que eu demorei a pegar o jeito de colocar direitinho foi o zíper invisível. Logo ele, que dá um acabamento tão bom às nossas roupas, né?! Ao longo de alguns projetos que eu fiz com zíper invisível fui fotografando para reunir dicas e postar aqui no blog, espero que sejam úteis para você!


Pés calcadores e sapatilhas para zíper invisível

Não tem jeito: para colocar um zíper invisível é preciso usar um pé calcador ou uma sapatilha específica para este fim. Em busca do zíper que fica realmente invisível, eu acabei comprando mais de uma pecinha destas e vou contar o que acho de cada uma delas:

Pé calcador de plástico, sapatilha de metal (Singer), conjunto YKK de pé calcador e sapatilha de plástico (importado). 


Pé calcador de plástico

Por substituir o pé calcador inteiro e ficar preso diretamente à barra da máquina, este pé calcador acaba sendo de uso universal nas máquinas domésticas. Comprei este de calcador de plástico (acho que é o mais comum e costuma ser bem baratinho) para usar na minha Velhinha nos tempos em que estava iniciando nas costuras, já que as máquinas antigas só tem um calcador e a sapatilha de uso geral. Depois acabei usando também na Novinha, o que mostrou para mim que ele é universal mesmo.

 
Pé calcador de plástico para zíper invisível

Este primeiro pé calcador nunca deixou o zíper realmente invisível e sempre me deu muito trabalho na hora de costurar o zíper. No meu caso, ele puxava o zíper de maneira que formava uma "barriga", o que atrapalhava muito o resultado final, mas tem gente que se dá muito bem com este modelo, então vale a pena testar.

Zíper não-invisível colocado com o pé calcador de plástico.


Sapatilha de metal (Singer)

Tempos depois, procurando uma solução melhor, comprei uma sapatilha de metal para a minha máquina Singer. Ficou bem mais fácil de costurar o zíper invisível, mas para deixar um pouco mais invisível que a colocação que fazia com o primeiro pé calcador que mostrei acima, sempre preciso fazer um ajuste fino na posição da agulha (para isso uso o seletor de largura dos pontos).

Sapatilha de metal para zíper invisível (para máquina Singer)

Zíper quaaaase invisível na lateral da minha saia lápis de couro sintético, colocado com a sapatilha de metal da Singer.

Conjunto de peças plásticas - calcador e sapatilha (YKK, importado)

Por último, faz tempo que comprei em um armarinho em Paris, mas só usei pela primeira vez no ano passado: um conjunto de peças plásticas (vem com três pés calcadores e uma sapatilha) ajustáveis a qualquer tipo de máquina. Veio apenas um pacotinho com as pecinhas e um xerox de instruções em francês bem tortinho, falta até parte do texto, não me ajudou muito.

Kit YKK com pés calcadores e sapatilha para zíper invisível (importado).

Precisei procurar na internet como usar as pecinhas e acabei conseguindo. Não uso todas as peças, apenas as que servem para máquinas Singer. Sobram essas duas peças azuis mais abaixo na foto. O que difere este calcador e sapatilha das peças anteriores é que o que levanta o trilho do zíper, que é uma espécie de rodinha (enquanto as demais são feitas de algo mais reto). Depois do mesmo ajuste fino da posição da agulha, foi muito fácil de usar e foi com ela que consegui colocar um zíper que ficou realmente invisível!

Em relação ao primeiro calcador de plástico, este parece se encaixar melhor na minha máquina. O primeiro que comprei entra bem duro e parece que não vai encaixar de tão justo. Já o calcador que veio neste conjunto "abraça" a barra da máquina direitinho, sem dificuldades.

 Calcador para máquina Singer e sapatilha para zíper invisível (YKK - importado)

Conjunto em uso!

Zíper invisível na minha saia Vivi, yay!


Então, se seu zíper ainda não está ficando bem invisível, recomendo testar outras peças apropriadas para aplicá-lo, até que você encontre o que faça esta tarefa da melhor forma! Veja com a assistência técnica ou atendimento ao consumidor do fabricante da sua máquina quais opções estão disponíveis. Vale também procurar naqueles stands das feiras de Patch (ou de costura e afins) que vendem peças e calcadores para máquinas de costura quais peças podem atender o que você precisa!


Dicas

A primeira dica que eu tenho para dar é: alinhave o seu zíper. Assim você poderá testar, antes de costurar à máquina, se a peça não está torcida, se as duas pontinhas do zíper estão alinhadas (em um cós, por exemplo). Quando mais preso o zíper estiver na posição certa, menos dor de cabeça você vai ter ao costurá-lo.

 Alinhavando o zíper, para ficar bem preso.

Desvire sua peça para o lado direito e teste o zíper que está apenas alinhavado para ver se ele está na posição certa.

Resolvida esta parte, se quiser garantir, você também pode prender o zíper com uma costura com a sapatilha de uso geral, não precisa ser muito perto de onde a costura definitiva do zíper invisível vai ficar, é só para poder deixar preparado para a costura com o pé/sapatilha específica. 

Assim que você encontrar a melhor sapatilha/pé calcador para usar em sua máquina, você pode fazer um ajuste para o zíper ficar realmente invisível, deixando a agulha bem pertinho do trilho do zíper, mas sem passar por cima dele (senão o zíper não vai correr). O que deixa o zíper bem invisível é a costura praticamente passar rente ao trilho, que precisa estar em pé na hora de costurar. Veja nestas fotos a posição da agulha e como o trilho precisa ficar para a costura dar certo: 


Note a posição da agulha (bem rente ao trilho) e como o trilho do zíper precisa ficar em pé. 
Se preciso, ajude com a mão enquanto costura.

Então, depois de costurado o zíper, eu fecho o restante da peça (no caso destas fotos, o fechamento da saia estava no centro das costas). O que eu costumo fazer para não ficar um buraquinho onde termina o zíper é alinhavar ou alfinetar o restante a ser fechado da peça, partindo do fim do zíper. Aí eu parto para a costura, de baixo para cima, usando uma sapatilha para zíper comum, pois ela vai chegar mais perto do volume que o zíper invisível deixa e assim ficará fechado na medida certa. Não esqueça de observar a sua margem de costura!

Não esqueça de virar para fora a pontinha que não foi costurada do zíper!

Hora de parar e dar retrocesso!

No final deste processo, ao desvirar a peça: o zíper mais invisível que eu coloquei na vida! Por isso eu quis compartilhar estas informações aqui no blog!

Zíper realmente invisível, peça pronta para ser terminada!

Este conjunto de peças plásticas que eu comprei por último é o que deixou o zíper mais invisível mas, como eu comentei, isso varia de máquina para máquina e de costureira para costureira. Se você ainda não achou a peça ideal, vale a busca por outro modelo, assim como ajustar a posição da agulha na máquina de costura!

Gostou das dicas?
Espero que sim!

Beijos e boas costuras!

30 de mai de 2016

Sobre me sentir viva (e de volta ao blog!)

Olá!

Este não será um post para pedir desculpas pelos sumiços daqui do blog (e esses sumiços são bem doloridos para mim, confesso). Este post é para contar para vocês que desde o final de março alguns acontecimentos meio que em seguida foram uma provação para mim, tanto física quanto psicologicamente.

Duas situações de doença na família e um acidente de carro comigo. Graças a Deus todo mundo está bem, mas foram dias muito difíceis.

E aí eu me vi comemorando que os dias voltaram a ser lindamente normais, era tudo o que eu precisava! Quando a vida voltou ao normal para nós todos, rolou uma certa correria para colocar assuntos pendentes em dia e faltou ânimo para eu escrever.

Só que quando isso acontece comigo fico realmente chateada, pois o blog é parte integrante da minha vida. Sinto que quando as coisas por aqui ficam paradas, é sinal de que preciso me esforçar mais. Felizmente, estou de volta e muito grata por estar bem.

O sentimento de estar viva e bem é algo muito presente em mim, tenho alguns momentos de paz mesmo em ocasiões super inusitadas ou que passariam batido para muita gente. Vou contar alguns exemplos recentes:

Sentindo o que é ser livre nesta cidade enorme e tão cheia de problemas ao pular carnaval com o marido no bloco que eu amo e que percorre o centro da cidade:

 
"Diga espelho meu, se há na avenida alguém mais feliz que eu!"

Ao percorrer estradas lindas numa viagem de sonho, me senti viva e ao mesmo tempo do tamanho de um grãozinho de areia ao fazer parte de todo aquele mundo enorme à nossa volta:

(Post sobre a viagem aqui)

Quando um show de rock te faz chorar de emoção, de alegria, de gratidão!

(Neil Young no Jazz Fest 2016 - Fonte)

E tem outras coisas que me dão esse "estalo": ouvir meu pai animado contar sobre a vida corriqueira, dar um abraço nas crianças da família, curtir um chamego do cachorro... E voltar a costurar, tricotar e escrever com toda vontade!

Queria contar que estou de volta, aliviada, feliz e muito grata por estar aqui!


Beijos e boa semana!

20 de mai de 2016

Look do Dia: Calça de Linho e Viscose!

Olá!

Antes que o frio chegasse de vez a São Paulo, aproveitei para usar um look bem confortável e fresquinho para ir à feira Brasil Patchwork Show. Não fui com a intenção de fazer compras, como tenho comentado ultimamente, mas queria ver as novidades do setor e também ver as pessoas sempre tão queridas que esse tipo de evento reune.


Uma feira com ótimos encontros

 
Preciso confessar que não consigo não ficar super feliz (e demonstrar isso) quando alguém me reconhece por conta do blog! Foi assim que conheci pessoalmente as queridas e talentosas Josy (de Vinhedo - SP) e Anielle (de São Luis - MA)!

 
Um encontro sempre esperado e sempre muito gostoso é com a Lu Gastal! Desta vez, lá no stand fofo que recebeu a Dança das Cores, estavam também as queridas Marta Brenner e Andrea Riserio!

 
Eu entre as lindas Tildas bailarinas!

Foi uma tarde deliciosa! Confesso que pela distância (e a falta de praticidade para eu ir de transporte público), estava com uma preguicinha de ir, rs! Depois que cheguei lá, tive certeza que fiz bem ter conseguido espantar a preguiça (principalmente de dirigir)!

Mesmo sem planos de fazer compras, não resisti a este alfineteiro em forma de baldinho da Lu Gastal e ele veio morar aqui no ateliê!


Look do Dia

Vamos ao look deste dia tão gostoso? Eu usei esta pantalona de linho e viscose que nunca tinha sido comtemplada em um post especial para ela, apesar de já ter aparecido vez ou outra aqui no blog na época que a fiz. Além de ser super confortável, é a única calça que eu tenho atualmente que não é de cor neutra.



Usei com a minha camiseta cinza mescla com rendas que apliquei à mão. Faz tempo que a tenho, mas não enjoo nunca! E, para ficar bem temática, usei também um colar com elementos de costura bem delicados (tem um dedal, um carretel de linha e uma tesoura, muito amor)!


Calça de Linho e Viscose: molde da revista Burda Portuguesa de 02/2012, tecido da loja Vadinho (Centro de SP).
Camiseta: Hering com apliques de renda comprados na região da 25 de Março (SP)
Tênis: All Star
Colar: Cath Kidston (Londres)


Gostou?
Quero mais tardes ótimas como esta!

Beijos!

18 de mai de 2016

Renoir e as Mulheres Artesãs!

Olá!

Existem muitas obras de arte que retratam mulheres fazendo trabalhos manuais. Isso acontece em grande parte porque tais atividades eram corriqueiras para as mulheres no passado. Assim como sempre escuto minha avó dizendo que as freiras a obrigavam a bordar perfeitamente, sob pena de castigos severos, e minha mãe relatar que, na época da sua adolescência, saber bordar e costurar eram praticamente requisitos para arrumar um bom casamento (como se toda mulher estivesse a procura de um, mas esse é assunto para outro post!), as meninas se dedicavam com afinco as manualidades, seja pelos motivos citados acima, ou como uma forma de se divertir e distrair nos momentos em que não se dedicavam aos intermináveis afazeres domésticos.

De todos os artistas que retrataram mulheres envolvidas em suas artes manuais, aquele que mais me chama atenção é Renoir e, por isso, resolvi fazer o post de hoje sobre ele.


Sobre Renoir e a Pintura

Pierre August Renoir foi um pintor impressionista que iniciou sua carreira como artesão. Isso mesmo, seu primeiro emprego foi como decorador de porcelana na fábrica dos Irmãos Lévy, onde pintava flores e buquês à mão para enfeitar a rica porcelana utilizada durante o chá da alta sociedade da época. Uma pena não ter encontrado nenhuma peça de porcelana pintada por ele para poder mostrar a vocês... eu mesma fiquei super curiosa!

Após esse período, se dedicou a pintura de leques e de tecidos, ofício esse que lhe rendeu o suporte financeiro necessário para ingressar na Escola de Belas Artes de Paris e realizar seu sonho. Já imaginou, na sua vidinha, ter um tecido pintado por Renoir? Eu morreria de amor!

Filho de um alfaiate e de uma costureira, não é de se admirar que Renoir admirasse tanto a cena cotidiana das mulheres em seus afazeres manuais, principalmente a costura, mas também o bordado e o tear. O que realmente fascina é o modo como retratava esses momentos tão singelos de maneira tão bela.

Renoir conseguiu reconhecimento de sua obra e viveu até os 78 anos, pintando até quando conseguiu suportar as dores do reumatismo que lhe acometia. Hoje em dia, sua obra é conhecida no mundo inteiro, como um dos grandes ícones do movimento impressionista.


As Artesãs nas Obras de Renoir

Aqui reuni algumas de suas belas obras, com o tema que tanto nos agrada:

 
Young woman sewing, 1879
(Jovem Mulher Costurando)

 
Marie Therese Durand Ruel Sewing, 1882 
(Marie Therese Durand Ruel Costurando)

 
Lise Sewing, 1866
(Lise Costurando)

 
Jean Renoir sewing, 1899
(Jean Renoir Costurando)

 
Woman sewing at the window, 1900
(Mulher Costurando na Janela)

  
Woman Sewing, 1910
(Mulher Costurando)

 
Chistine Lerolle Embroidering, 1897
(Chistine Lerolle Bordando)

 
Embroiderers, 1904
(Bordadeiras)

 
Girl tatting, 1906
(Garota fazendo renda)

 
The Embroiderer (Woman Embroidering in a Garden), 1898
(A Bordadeira - Mulher Bordando em um Jardim)


Espero que vocês tenham gostado de conhecer um pouquinho mais sobre a vida desse pintor e apreciem, tanto quanto eu, a belíssima arte desse gênio da pintura!

Um beijo,
Ana

16 de mai de 2016

Primeiros Looks do Me Made May 2016 (#mmmay16)!

Olá!

Quem está sempre por aqui deve ter percebido uma ausência de novos posts nos últimos dias, não é?! Bom, primeiro uma viagem de férias muito emocionante mas em que fiquei praticamente sem internet (logo menos a viagem será contada aqui no blog). Depois, na volta, uma série de acontecimentos por aqui me deixou longe do computador. O que importa é que tudo está se resolvendo e aqui estou de volta!

Para retomar a rotina habitual de posts (que eu amo manter, aliás), hoje é dia de mostrar os look dos primeiros dias do Me Made May deste ano. Contei sobre este desafio aqui.

Neste ano eu quero usar novas combinações para as minhas peças handmade, estou também procurando não repetí-las ao longo deste mês exatamente para colocar mais peças em uso e, assim, usar algo que esteja parado ou que eu sempre uso da mesma forma.

Vamos aos looks? Para ver mais detalhes e informações das peças que eu costurei, coloquei os links para os respectivos posts!


Primeira semana

Dia 1 - Último dia do festival de New Orleans (olha o spoiler dos posts futuros, rs). 
Estava calor e chovendo, então fui de macacão curto e levinho com botas de plástico.
Post sobre o macacão aqui.

Dia 2 - Look para ir embora para casa: camiseta, legging, tênis e casaco, tudo bem confortável!
Post sobre a camiseta de malha de viscose aqui.

Dia 3 - De volta a SP, no último dia de férias e finalmente aproveitando o outono.
Saí com meu vestido de moletom e apliques de renda, tênis e jaqueta jeans.
Post sobre o vestido de moletom aqui.

Dia 4 - Era para ser apenas um dia de volta às aulas, mas não foi bem assim, rs! 
(Por isso a minha cara meio acabada...)
De qualquer forma, usei a camiseta que eu troquei o viés faz tempo e a minha jaqueta bomber.
Post sobre a camiseta aqui e sobre a jaqueta bomber aqui.

Dia 5 - Para resolver problemas na rua (rs), vestido de malha de rayon e tênis.
Post sobre o vestido Wren aqui.

Dia 6 - Confesso que estava totalmente sem ideia do que vestir nesse dia. Aí repeti o look "sucesso" do último Lollapalooza com macacão jeans, camiseta de manga comprida e lenço de algodão.
Post com detalhes deste look todo aqui.

Dia 7 - Para passar o dia com uma das minhas pequenas (só consegui fazer a foto na volta do passeio, por isso estou tão amarrotada, rs), minha blusa Taffy de laise e minha pantalona de linho com viscose.
Post com a blusa aqui e sobre a calça aqui.

Dia 8 - Look fofo para o almoço de dia das mães em casa: top cropped de moletom, saia evasê com prega e sapatilhas, eu gostei!
Post sobre o top cropped aqui e sobre a saia Vivi aqui


Segunda semana

 
Dias 9 e 10 - Foram dois dias em que acabei não usando nada que eu fiz, mas os trabalhos handmade continuaram por aqui (na foto, uma das mangas da minha blusa de tricô em progresso).

 
Dia 11 - Finalmente um dia normal de aulas (com direito a uma prova "básica" de alemão)! 
Para a jornada de estudante, minha querida saia de sarja Arielle (post sobre ela aqui). 

 
Dia 12 - Mais um dia de afazeres domésticos, quando acabo usando roupas "das ginásticas"...
O ponto alto do dia foi que retomei a colcha de Patchwork que comecei no ano passado, agora só sossego quando terminá-la!

 
Dia 13 - Para um cinema e jantar com o marido, minha amada blusa de crepe de seda. 
Não via a hora de usá-la de novo! Post sobre a blusa aqui.

 
Dia 14 - Para uma pizza em família, vestido curtinho de malha com legging, bota e casaco.
Post sobre o vestido Coco em malha de algodão aqui.

 
Dia 15 - Domingo relax com vestido, jaqueta jeans e tênis. 
Post sobre meu vestido Monetta de malha aqui.

 
Dia 16 - Ontem foi um dia bem caseiro, sem look handmade, mas com os trabalhos da colcha prosseguindo. Estou terminando a colcha, finalizando o viés com pontos à mão.


Primeiras conclusões sobre minhas peças handmade

O que eu percebi até agora é que estou usando menos vestidos do que eu usava em outros tempos, tanto que estou evitando fazer outras peças do tipo há um tempo. As cores andam bem dentro daquela cartela de cores que escolhi no ano passado (post aqui), mas vesti um pouco de rosa em dois dias e eu gostei! Ajuda muito pensar nas cores na hora de combinar as peças, fica mais fácil, sabe?

Outra coisa importante nos tempos atuais é que eu vivo sem salto, estou praticamente de tênis o tempo todo. Os meus tênis nem sempre são básicos, mas são maravilhosamente confortáveis. Então, preciso considerar o item "calçado baixo/tênis" ao pensar nas costuras futuras ou como aproveitar bem o que teu já tenho no armário, já que ando muito feliz com eles!


Gostou dos looks?
Ainda temos praticamente metade do desafio pela frente, continuo animada!

Beijos!

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails