30 de set de 2014

Costuras da Semana!

Olá!

O post está atrasadinho, mas não falha, rs!
Mais uma semana corrida em que eu não tenho muita novidade para mostrar. Mas entre um compromisso e outro eu consegui costurar algo, oba!

Na aula de Patchwork, comecei a montar meu cesto de materiais de costura. A parte de fora e de dentro estão costuradas e falta agora juntar tudo e dar os acabamentos. Tirei estas fotos para dar uma ideia de como está:



Em casa, continuei a fazer meus consertos. Agora só falta uma blusinha (que eu notei que estava descosturada bem na hora de vestir #quemnunca?). O plano é depois disso retomar a minha capa de lã parada desde junho (para não virar a grande lenda costurística do inverno que já acabou) e depois fazer algumas peças novas que estão na fila.

Um dos consertos era refazer o cós daquela saia vinho de malha, que cheguei até a usar estando errado (post aqui). Agora que está realmente pronta, fiz a estreia oficial no domingo, numa maratona de dois aniversários que eu fui.

 Agora sim!

Na foto não aparenta muita diferença mas, ao vestir, a roupa ficou mais certa no lugar, do jeito que tem que ser. Tanto é que quando usei de maneira improvisada uma vez, eu vi que só daria para pôr para uso mesmo depois de arrumada. Valeu a pena!

A arrumação do quartinho não andou nada essa semana, mas logo que me livrar da primeira prova de alemão do semestre (pronto, recomeçou o drama, rs!) eu quero pegar firme nessa parte também.

Por enquanto é isso!

Beijos e boas costuras!

26 de set de 2014

Livro do Mês - 130 Blocos de Patchwork

Olá!

Eu já tenho esse livro há um tempo, comprei quando comecei a fazer aulas de Patchwork para ter algum material para consultar.

Sempre é útil quando quero fazer algo e estou sem ideias, como aconteceu com a bolsa para os materiais de tricô (fotos aqui). A ideia de fazer blocos com listras veio do livro.


O livro começa por tratar os materiais e técnicas usadas no Patchwork:
 - Ferramentas
- Seleção de Tecidos
- Corte Básico
- Cortando Tecidos
- Técnicas Rápidas
- Crazy e Aplicação
- Ideias para Designs de Patchwork
- Quilt e acabamento
- Ideias de Projetos Simples (Mini Sacola, Capa para livro, Almofadas tipo envelope)

Depois vai para a galeria de blocos, divididas em capítulos, conforme descrito pela autora:
- Quase Amish - versões em miniatura dos blocos tradicionais feitos pela comunidade Amish em cores vibrantes
- Retro Revival - projetos refletindo o estulo moderno da metade do século, perfeito para tecidos retrô que combinem texturas naturais com motivos minimalistas
- Frugais Anos 30 - os favoritos originais dos anos trinta são combinados com inspirações Art Deco - ideais para tecidos que lembram os anos trinta
- Estrelas e Cataventos - mostre o brilho do seu trabalho com um pedaço do céu ou coloque seus blocos em um redemoinho com cataventos em cores primárias
- Tradições inglesas - blocos simples do século XVIII ganham um ar atualizado com estampas suaves que dão ideia de "chique usado" e tons pastel
- Crazy colorido - peças irregulares contemporâneas ficam mais fáceis com esses projetos coloridos com uma infinidade de batiques exuberantes
- Tranquilidade em marrom - revisite alguns dos blocos mais elegantes com cores frias derivadas do marrom e estampas sutis com ar atemporal
- Odisseia japonesa - cores fortes e estampas brilhantes em dourado metálico celebram os locais e os padrões do Japão
- Clássicos country - Tecidos country em vermelho e verde são perfeitos para estes blocos tradicionais transportados para o estilo doméstico
- Cabana de Toras - O Patchwork em listras explora o tesouro dos projetos em cabana de toras com uma variedade primaveril de cores que lhe dão um toque de atualidade.

Em cada capítulo há uma introdução que conta sobre a origem dos blocos que serão mostrados, muito interessante! Para cada bloco há a indicação de técnica (se é Patchwork, aplicação ou ambas), grau de dificuldade, plano de corte e como montar.



Também há sugestões de combinações dos blocos para montar colchas e como executar um mini projeto (que eu mencionei acima). O capítulo oriental é de babar, por isso eu coloquei as fotos de exemplos vindos dele!



Achei tudo muito bem feito e explicado, apesar de ainda não ter feito nenhum dos projetos que ele propõe "à risca". Serve como um bom livro de referência e inspiração, tanto de técnicas quanto de cores e estampas, vale a pena!

Beijos!

Serviço:
Livro: 130 Blocos de Patchwork

Autora: Susan Briscoe
Editora: Ambientes & Costumes

Ano: 2011 
Site

24 de set de 2014

Curso de bonecas Tilda na Eduk

Oi gente, tudo bom?

Há algum tempo, descobri que a nossa querida Lu Gastal iria dar o curso de bonecas Tilda no canal Eduk. Não sei se já ouviram falar, mas o Eduk é um portal onde você encontra uma série de cursos on line sobre os mais variados temas, inclusive costura, modelagem e bonecas.


Eu já tinha feito o patch encontro com a Lu e saí de lá com minha Frida lindíssima (contei neste post). E foi pela ótima experiência que achei que não poderia perder esse curso da Lu, online e o melhor, sempre na primeira exibição ao vivo do curso, ele é grátis! Então foi só me cadastrar no site, reservar minha vaga no curso e estar no computador no horário combinado (geralmente os cursos acontecem em dois dias com reprises na noite desses dias).

Bem, a Lu dispensa comentários, né? Como sempre mais que querida, explicando todo o passo a passo da construção das bonecas, das roupas e acessórios com toda didática e carinho do mundo!!!

Achei muito bacana o formato do curso, que tem um comentarista, duas alunas no estúdio e ainda recebe as dúvidas via e-mails durante as aulas. A gente aprende bastante com as dúvidas dos outros e ver mais uma vez a Lu fazendo as bonecas reforçou vários conceitos em minha cabeça.

Lu queridíssima em ação!

O curso teve duração de três tardes. Na primeira a Lu ensinou a fazer o corpo da boneca, na segunda ela ensinou a boneca Frida e uma Tilda com roupa de inverno (cachecol e polainas lindas!) e na terceira ela ensinou acessórios, um cachorrinho de estimação e uma boneca batizada de "Feliz Aniversário", com chapeuzinho de papel, bolo de festa e tudo!

Adorei, muito bom mesmo, principalmente para quem não pode e nem tem tempo de participar de um curso ao vivo com a Lu. Além disso, ao comprá-lo, ganha todo material de apoio (moldes, dicas, etc.) e fica com ele para assistir quantas vezes quiser.

A Eduk divulga frequentemente seus cursos no Facebook, então é só ficar atento e participar, recomendo muito!

Beijoca!

22 de set de 2014

Costuras da Semana!

Olá!

Primeiro preciso dizer que fiquei extremamente feliz porque teve post todo dia semana passada, eba!
Aqui continua tudo corrido e com o meu quartinho parcialmente interditado por conta da reorganização pré-reforma que eu estou fazendo.

Por isso mesmo a costura que dá para mostrar essa semana se resume ao último bloco que faltava para completar o Patchwork dos bolsos do meu cesto de materiais de costura. É ele mesmo, o coração feito com a técnica Crazy que apareceu "como quem não quer nada" no post de quarta-feira passada.


Foi o primeiro Crazy que eu fiz e eu achei o resultado na forma de coração uma fofura só!

Agora já iniciamos a montagem da peça e todo o matelassê necessário já foi feito. Espero na aula de amanhã fazer um tanto que dê para mostrar na semana que vem!

Sobre o quartinho, arrumei a mesa de forma diferente, de maneira que as máquinas de costura e de overloque ficassem mais separadas. O bom é que agora voltei a ter lugar para o computador, que ficará entre as duas belezuras. Assim, o conceito de ateliê fica mais próximo, com as máquinas e os apetrechos tecnológicos necessários no mesmo espaço.

Ainda falta definir o destino de algumas coisas que estão saindo do quartinho (deu dó, mas ok) e que estou tentando colocar mais à vista em outros lugares da casa. Por enquanto saíram os livros de culinária (que esperam a prateleira deles na cozinha ficar pronta para mudarem definitivamente pra lá), a minha coleção de garrafinhas que foi para a bandeja de bebidas, o saleiro e pimenteiro em forma de andorinhas que devem ir pra algum lugar de destaque também na cozinha. A bandeja que serviu de aparador para as minhas garrafinhas voltará a compor o jogo de chá de onde um dia eu a raptei, rs! Engraçado que boa parte do que saiu vai para a cozinha, né?!

Outra coisa que saiu foi porta retrato, na verdade saíram uns quatro deles. Vou redistribuí-los pela casa! Assim tudo isso ficará mais visível para mais gente além de mim, não é legal?

A parede agora está bem branquinha, pois até um adesivo bem antigo eu arranquei. Confesso que já está me dando um faniquito de preenchê-la de novo, rs! Mas só vou fazer isso mais pra frente, então tenho tempo para pensar sobre isso (e se for o caso, desistir também), rs!

Eu também arrumei todas as minhas revistas de moldes e outros moldes antigos que estavam sem um lugar muito certo. Achei vários projetos antigos dos tempos em que comecei a costurar, foi muito gostoso poder arrumá-los melhor! Aliás, aproveitei a dica da Ana (nesse post aqui) para guardar os moldes menores em pastas com plásticos, ficou muito bom!

Haja molde!

No sábado eu fui no Bazar Ó Gente! e, além de alguns presentes, comprei algumas coisas para casa e para a costura, como sempre!

 Achados sempre muito bons das meninas do Superziper!
Não fiz a oficina do alfineteiro, mas trouxe um kit para fazer em casa!

Minha parede da copa ganhou uma girafa de crochê da Paty Mimmos, já estava namorando uma das lindezas feitas por ela faz tempo!

Terminei a semana fazendo alguns consertos e duas peças já voltaram para o armário, viva!

Por enquanto é isso! 
Que a sua semana seja bem produtiva!
Beijos e boas costuras!

19 de set de 2014

Ferramentas de Costura - Guia de Costura

Olá!

Tempos atrás (mais precisamente neste post) eu contei que tinha uma guia de costura que eu usei quando eu só tinha a Velhinha e ela não tinha marcações de margem de costura. Pois bem, como quase tudo na vida, nada como o tempo para nos ensinar mais algumas coisas. Neste caso, foi a Lurdes (saudades!) que me mostrou mais utilidades dessa pecinha magnética.


A finalidade de marcar margens de costura permanece, mas tenho usado muito mais para fazer acabamentos que fiquem perfeitos, como costura de cavas, decotes e barras. É só posicionar a guia na margem de costura desejada, colocar o que se quer costurar rente à guia e acelerar o pedal.

 Guia em ação!

 Acabamento perfeito do decote e da cava...

... E também da barra!

Dicas:
1. Para os casos de acabamento, que eu sempre uso a guia, as peças são costuradas do lado direito.
2. Se o acabamento for feito em tecido de malha, é só usar uma agulha dupla no lugar da agulha simples. Junto com a guia, também vai ficar tudo bem acabado!

Um dos momentos em que essa pecinha me deixou encantada foi quando eu fiz as cavas do meu vestido de madrinha do casamento da Carla e do Daniel no ano passado. Era imprescindível que o vestido ficasse bem acabado (post com fotos aqui)! Agora já é rotina usá-la nas minhas costuras!

Eu lembro de ter comprado a minha guia no Armarinho Metrópole, lá no Centro (info aqui), mas já faz tempo e eu não sei mais quanto paguei. Só digo que valeu muito o investimento!

Beijos e boas costuras!

18 de set de 2014

Bonecando sem parar!

Oi gente, como estão?

Por aqui continuo “Tildando” de montão e vim mostrar o resultado para vocês!

Vocês lembram que eu comentei aqui que um dos meus maiores desafios era a costura a mão? Não sou nenhum pouco jeitosa e fazer coisas pequeninas sempre foi um desafio para mim, que ficava bastante descontente com o resultado.

Nisso, a costura das bonecas tem me ajudado muito! As Tildas são miúdas e a maioria das coisas tem mesmo que serem costuras a mão e, claro, a prática é a melhor amiga da perfeição. Tenho gostado bastante do resultado.


Essa foi a terceira bailarina que fiz. A primeira foi um presente para a colega do marido que me deu uma herança de tecidos lindos. Fiz uma bailarina toda branca que fez o maior sucesso no trabalho do marido e logo veio a encomenda de uma bailarina toda azul. Acontece que, depois que terminei a encomenda tive um aniversário e presenteei a mocinha com a bailarina e aí fiz mais essa que, confesso, ficou melhor que a anterior.

Claro que as bonecas foram vistas pela Julia que queria ficar com todas, mas passei o tempo prometendo e ela escolhendo como seria sua própria bailarina. Me disse que queria que fosse colorida e acabei fazendo uma Tilda “meio” bailarina, rs.


Ela é toda colorida, mas tem um tutu de tule bem armado, cabelo e sapatilhas vermelhas. Apesar de ouvir da filha que não era bem assim que ela queria, eu amei o resultado. E cada vez amando mais minhas costuras e acabamentos a mão, iupiiii! Lacinho no cabelo e botões para o arremate das sapatilhas ficaram demais.

Por fim, mais uma encomenda, dessa vez da minha prima Carô, que está a espera do Mateus e, ao ver a Tilda sonolenta que fiz para a irmã dela, veio logo cheia de desejos. Confesso que o mais complicado foi achar tecido da cor da pele negra (queria que fosse mais claro, pois o Mateus será mulato, imagino eu, cor de chocolate, vou morder, rs!). Mas ao terminar o anjo dele, achei que ficou uma graça.

Um anjo para esperar meu sobrinho... não vejo a hora de apertá-lo!!!

Beijocas!
Ana

17 de set de 2014

Feito em casa

Olá!

Dia desses, lendo esse post da Ana Elisa sobre vencer a tentação de comprar comida pronta no lugar de ter paciência para prepará-la em casa, eu me identifiquei imediatamente.


Estou procurando cozinhar mais, com a ajuda do marido (não seria certo não dar esse crédito a ele). Sábado passado nós dois passamos a tarde cozinhando. Saiu um risoto de açafrão com filé de fraldinha pro almoço, saiu um chilli com carne para o jantar (e um tanto foi para o freezer), pelas mãos dele.

Eu fiz pão integral com azeitona preta e alecrim (vindo de nossa hortinha de temperos) e geléia de morango. Ambos ficaram ótimos e eu fiquei com um orgulho danado de mim mesma! Chamei meus pais e meu irmão pra lanchar em casa no dia seguinte só para compartilhar com a família os feitos na cozinha. Que graça tem comer tudo sozinha? Rs! Foi tudo aprovado (sendo que a minha mãe é a minha maior referência no assunto de pão caseiro e também na geléia caseira).

O tempo que eu e o marido passamos juntos na cozinha foi ótimo. Assim como o tempo que eu fico no meu quartinho de costura também é.

Quando eu termino uma peça, quando eu a uso pela primeira (ou pela centésima) vez, me dá uma satisfação incrível. Porque não é um vestido novo pelo vestido novo apenas. É se sentir bem por ter feito a minha própria roupa, com as minhas medidas, que vai valorizar o que eu tenho de melhor, independente se é a cor, a estampa ou a modelagem "da moda".

O tempo que eu levo costurando uma peça nova do zero é bem maior do que o tempo que eu gastaria para ir ao shopping comprar roupas. Nesse intervalo de tempo daria para comprar várias peças (se o dinheiro permitisse também). A diferença é exatamente essa, de dar valor a cada etapa, de dar valor ao usar bem um tecido que foi escolhido com carinho entre tantos outros da loja, lembrando que este também custa dinheiro.

Cada peça de roupa já nasce com uma história, do tecido que foi comprado em tal lugar, do molde ideal escolhido para ele, das horas que se passaram cortando, costurando e dando acabamento. Não consigo não ficar apegada a cada peça pronta.

Por isso mesmo que eu fico pasma com pessoas que fazem fila em lojas de departamento para comprar pilhas de roupas que nem sabem se vão usar, que não se sabe como foram feitas para custar um preço "de banana", que não se dão conta se aquilo vai tudo combinar com o que já existe no armário.

É igual a comprar coisas no supermercado e deixar estragar por um capricho qualquer. Eu aprendi desde cedo que é errado, perder comida que era boa sendo que um monte de gente não tem. Assim como é um pecado gastar o suado dinheirinho pra comprar roupa que não vai durar ou que não vai usar. Ou, por fim, trazendo pro nosso universo de costura, comprar tecido compulsivamente e não usar por dó ou por nunca achar um projeto para ele.

Se é para comprar roupas prontas, que sejam de lojas que eu sei que tem uma produção correta e um preço condizente com a qualidade. Adoro ir a lugares em que conheço a dona e estilista (beijo Cá - Lascivité - e Pati - Laundry) e as peças que tenho dessas lojas também contam histórias quando eu uso.

Isso tudo me faz pensar na gratidão que eu tenho por pensar assim hoje em dia. Lógico que eu não consigo consumir 100% do tecido que eu compro, mas já tem um tempo que cada um que entra na minha casa já vai tendo um projeto pra ele. Porque infelizmente eu comprei tecidos por algum tempo numa velocidade maior do que a minha capacidade de costurá-los, eu assumo. O que me consola é que eles não são materiais perecíveis e eu posso dar um novo destino se algum "sobrar" de verdade.

Meu pão e minha geléia me remetem a um gostoso café da tarde em família, que tornou o último domingo um dia muito especial. Cada peça de roupa que eu faço e uso também me remete a sua história específica. Assim como as coisas fofas que tenho feito para casa nas aulas de Patchwork. Nenhuma dessas coisas foi feita e/ou consumida por acaso.


Enfim, quero deixar aqui essa minha reflexão mais recente. Espero que ela seja útil para você também!

Beijos e boas costuras!

16 de set de 2014

Projeto Run and Play

Olá pessoal! Estão todos bem?

Quem é que nunca ouviu falar da série americana de televisão Project Runway? Para nós que curtimos costura e o processo de idealização de roupas até a sua confecção e, por fim, o desfile dos modelitos é um prato cheio!

Eu já acompanhei algumas temporadas e, claro, como costureira sempre acabei elegendo um queridinho para torcer até o final, acho sensacional.

Agora o que muita gente não sabe é que existe uma versão para costureiras blogueiras (ou vice-versa) só que totalmente dedicado a projetos infantis. Nem preciso dizer que amo, né?


Segundo a descrição do próprio site funciona da seguinte maneira:
"A cada semana, os designers competem para criar o melhor vestuário infantil (com um tutorial) com base em um tema. Um grupo de juízes (celebridades dos blogs sobre roupas infantis) confere uma pontuação de 1 a 5 em cada categoria, e, em seguida, a votação entre os leitores é aberta. Os leitores podem votar uma vez por semana para o modelo que mais gostaram, e no final da semana, a pontuação é apurada. O vencedor é anunciado, seu tutorial é postado no site do Project Run and Play, e a pessoa com o menor número de votos é "enviado para casa" ou seja, deixa a competição."
No site do projeto você encontra a lista de juízes, que é trocada a cada temporada, os concorrentes e também os prêmios que os três primeiros lugares ganham. Geralmente são vales que o ganhador pode trocar por kits de tecidos e moldes dos patrocinadores, que fazem uma ótima propaganda de seus produtos, porque um montão de gente adora o assunto conhece e acompanha o projeto!

Os temas são super criativos, muitas vezes escolhidos pelos leitores do blog, e aparece coisa muito legal. Ano passado o tema de uma semana foi a produção da saias para meninas carentes e nesse caso, todos os leitores podiam participar. No total, conseguiram arrecadar 600 saias em apenas 5 dias! Não é o máximo? Você costura, se diverte e ainda ajuda quem precisa!

Como foi um grande sucesso, o projeto decidiu estender por várias semanas, sendo que cada uma foi dedicada a uma peça diferente, tudo foi doado no final e as peças mais bacanas tiveram seus designers premiados.

Mas o que me encanta além dos temas dados aos competidores (que variam entre cores, técnicas de costura como pregas, babados, ou mesmo qualquer outro tema como um passeio no zoológico) é a imensa e maravilhosa criatividade com que eles trabalham, veja o resultado do desafio cuja o tema foi “Arte”:

"Primavera Asteca" e "O artista moderno" (Mondrian)

"Picnic no parque" (Monet)

"Em flor" (Monet)

Vintage Cruiser (Sarah Frances)

Zombie Jeeves (Michelle Armas)

Deu pra sentir o nível da competição???

Faz uma visitinha no blog do projeto, assina o feed para acompanhar a competição e votar em seus preferidos, é muito divertido e inspirador.

Eu mesma já fiz minhas versões de alguns modelos competidores para minha pequena:

A criação do ICandy Handmade para o tema “roupa de festa para a primavera” e a versão que fiz para minha filhota!

Espero que o projeto inspire vocês em suas costuras para os pequenos!

Beijocas!
Ana

15 de set de 2014

Costuras da Semana!

Ola!

Essa semana teve pouca costura, mas muita ação por aqui.

Só cheguei perto da máquina para fazer mais dois blocos do meu cesto de materiais, na aula de Patchwork. A aplicação nos bolsos foi feita em casa e à mão (adoro!)


 Que fofura!

Terminei a etapa do crochê das lembrancinhas do batizado do Marco Antônio. Mais uma etapa deste projeto familiar que está concluída, estou feliz com o resultado, eeehhh!

Crochê pronto para as próximas etapas!

A ação restante deve-se à reorganização do meu quartinho. Eu junto muita coisa, arrumo lugar para tudo que for bonito e até gosto do ambiente cheio de lembranças. Mas cheguei num ponto em que me falta espaço para trabalhar e também passei a sentir falta de ver o branco de ao menos uma parede, rs!

Daqui um tempo estará tudo cheio de novo (porque essa sou eu), mas estará tudo renovado e eu acho isso tão legal! Em breve eu mostro como está ficando, pois ainda não está muito apresentável para fotografar, rs!

Então, o post de hoje é breve, mas não perca os outros posts desta semana!

Beijos e boas costuras!

12 de set de 2014

Desafio triplo de costura - dois tecidos, um modelo de vestido, com elástico na cintura

Olá!

Inspirada pelos posts da Ana de desafios costurísticos que ela superou (você pode ver o primeiro aqui e em breve vai ter mais), resolvi escrever sobre a minha experiência de fazer um mesmo modelo de vestido em dois tecidos diferentes, com o "plus" de terem a cintura marcada por elástico, uma das minhas maiores dificuldades costurísticas.

O modelo em questão é o Myrtle, da Colette Patterns (amor eterno), desenhado para ser feito tanto em malha quanto em tecido plano.

 O primeiro vestido foi feito em malha e o segundo em tecido plano.

Resolvi fazer das duas formas para notar a diferença e, no meu peso atual, um vestido (ou dois, rs) com elástico pode continuar a ser útil numa futura e desejada fase mais magra.

Uma coisa interessante é que o material dos meus dois vestidos é o mesmo: a viscose (tecido feito à base de celulose, "é a mais 'natural' de todas as fibras químicas" - fonte).

O vestido cereja é feito de jersey de viscose, uma malha pesada mas que não é grossa e também bastante fluida. Dá para notar isso pelo decote que ficou mais profundo e menos volumoso, assim como a saia.

O vestido estampado foi feito com o tecido plano de viscose que parece muito com um algodão fino (para mim, lembra tecido de algodão Liberty) e ficou bem diferente do primeiro.

 
 Meus dois vestidos, em jersey de viscose e em tecido plano de viscose.

 Detalhes da parte de cima para poder ver a diferença dos tecidos, cada um com sua beleza!

Como era a proposta, o vestido realmente é fácil de montar, em qualquer um dos dois tipos de tecidos. Para cada um existem "regrinhas" específicas, como fazer o acabamento das costas da peça de malha com agulha dupla enquanto com o tecido plano usa-se um viés interno. Dá para ver isso no acabamento dos decotes acima.

Eu já parti para a costura sabendo que em qualquer uma das duas peças eu teria que encarar um dos meus maiores pontos fracos na costura: a colocação de elástico. Essa é uma das partes em que eu sou mais desajeitada. Eu acabo conseguindo no final, mas nunca acontece de primeira.

Seguindo apenas o tutorial online (dessa vez nem segui o livreto que veio junto com o molde, para testar) consegui colocar o elástico no vestido de jersey na primeira tentativa, mas precisei dar uma desmanchada para ajeitar alguns trechos de tecido que embolaram.

 
(Fonte)

Já no vestido de tecido plano precisei desmanchar duas vezes, uma porque nem sei o que fiz de errado, só sei que não criou essa "canaleta" que dá para ver por fora. Na segunda foi porque embolou muito MESMO.

Eu estava doida para terminar esse vestido, pois o primeiro já estava pronto, eu já tinha usado e a-ma-do. Estava contando que com o segundo seria o mesmo sucesso.

Além de rever o tutorial no site, assisti novamente o vídeo com mais fotos dessa etapa (abaixo, é só acessar o link - e que deixo como dica para quem também tiver a mesma dificuldade que eu) e fiquei pensando como lidaria com o meu vestido, pois se desmanchasse a costura pela terceira vez eu receio que o tecido começaria a ceder.


No fim das contas, dividi o elástico em duas partes iguais, marcando com uma caneta. Distribuí então cada metade do elástico nas metades da cintura, que situei pelas costuras laterais. Procurei não alfinetar muito, pois achei que era isso que estava causando o problema de repuxar na hora de esticar tudo para costurar.

 Respira, estica tudo e costura!

Costurei à máquina conforme indicado e ainda assim precisei desmanchar algumas partes que tinham ficado franzidas ou repuxadas. Isso aconteceu nas duas peças. Nessa hora de refazer a costura, coloquei um alfinete para garantir que o elástico não sairia do lugar e costurei pelo direito, assim visualizaria melhor e evitaria repuxar o tecido de novo.

Como eu disse aí em cima, não foi de primeira, mas deu certo. E foi muito trabalhoso, mas ainda assim muito recompensador, já que eu adorei os dois vestidos! E porque, se a gente tem algum desafio para vencer na costura, a gente só vai chegar a algum resultado praticando, certo?!

Espero que os links tenham servido como dica nesse assunto de colocar elástico (mesmo que estejam em inglês, creio que o passo a passo seja fácil de entender só pelas imagens) e que a dica de escolher o tecido conforme o resultado pretendido também seja útil!

Saldo: mais dois vestidos no armário, já com cara de primavera, mais um pouco de treino com elástico!

Beijos!

10 de set de 2014

As vantagens da reutilização de tecidos

Olá pessoal, como estão?

Uma das minhas atividades preferidas é visitar lojas de tecidos, passear pelos corredores buscando riquezas e inspiração para novos trabalhos. Toda costureira adora ficar admirando as estampas, utilizar o tato para conhecer sua maciez, seu peso, etc... Em pouco tempo você já elege suas lojas preferidas, conhece até os vendedores pelo nome.

Mas muitas vezes herdamos ou compramos tecidos e os utilizamos em projetos que não gostamos, que por algum motivo não deram certo e acabam encostados no cantinho da costura ou mesmo ocupando um lugar eterno em nossos armários, já que nunca são utilizados.

Aí é que entra o assunto do post de hoje: já pensou em pegar aquele projeto pela metade ou mesmo aquela cortina antiga e reutilizá-la para um novo projeto?

Tem muita gente que vê a reutilização de tecidos com um pouco de preconceito, mas eu acho a ideia genial por vários motivos:

1) A reutilização de tecidos é bastante econômica!

Ao reutilizar um velho lençol como forro para um vestido novinho ou transformar a velha e longa cortina da sala em uma pequena e enfeitada cortininha para a janela da cozinha você está poupando um bocado de dinheiro, que pode ser utilizado para projetos novos!

2) Tecidos “amaciados” podem ser muito interessantes para projetos infantis
Um tecido já utilizado em um projeto de costura certamente foi lavado várias vezes e isso o torna bastante macio, o que pode ser uma característica muito importante na construção de uma nova peça que vai ficar em contato direto com a pele ou em projetos para infantis como forro de uma colcha fofinha e macia que vai aconchegar um pequeno bebê! Além disso, você pode lavá-la e perfumá-la de um jeitinho todo personalizado. Você não vai se arrepender!

O forro do vestido da minha bailarina foi feito com um lençol de algodão velhinho e macio, afinal o tule é duro e pinica bastante. Quis deixá-la bem confortável para dar suas piruetas!

3) Peça piloto

Alguns projetos exigem habilidades mais avançadas de costura ou a modelagem da peça em um manequim ou no próprio corpo. Se este é o caso e você está planejando executá-lo com o tecido mais lindo que comprou, pode reutilizar um tecido antigo para preparar a peça piloto, onde irá fazer todos os ajustes até alcançar os resultados pretendidos. Aí é só repetí-los no tecido luxuoso que comprou para o projeto e o resultado é sucesso garantido!


Esse bolerinho que eu fiz para a Julia já foi uma bolsa de veludo lilás (pena não ter fotografado na época para mostrar a vocês). Com detalhes personalizados como o babado e a florzinha em feltro ficou do jeito que eu queria e pude fazer um outro com o tecido novinho, sem medo de errar!

4) Peças vintage sem custo!

Sabe aquela colcha que você herdou da sua tia e não usa porque não curte como cobertura da sua cama, mas a guarda com carinho por achar o tecido adorável? Já pensou em usá-lo em um novo projeto? Jogos americanos, talvez? Almofadas? Capa nova para sua máquina de costura? Com aviamentos especiais, você consegue criar uma nova peça ao melhor estilo vintage, que além de te satisfazer vai arrancar suspiros de suas visitas! E posso apostar que vai deixar sua tia pra lá de orgulhosa da costureira que você é!

5) Costura sustentável
Já parou para pensar no custo que um novo tecido tem para o planeta? É preciso matéria-prima, energia e água para sua fabricação. Quando você reutiliza um tecido está fazendo sua costura ser sustentável. Tem coisa mais eco-chic e mais na última moda que isso? Eu duvido! E posso garantir que o nosso planetinha agradece.

Acho que já temos razão suficientes para reutilizar tecidos concordam? Mas ainda quero falar de mais uma que é o exercício de sua criatividade. Ao comprar um tecido, eu pelo menos, quase sempre tenho uma idéia clara do que ele irá se transformar, mas reutilizar um tecido é uma espécie de quebra-cabeça, no qual você vai encaixar o tecido antigo perfeitamente em um projeto novo, assim você coloca seus neurônios para trabalhar e se diverte um monte!

Está sem idéia? Olha só o que encontrei em uma busca rápida no Google:

 
A velha camisa pode virar viés para uma colha de retalho, uma nova almofada ou um saquinho de tecido multi-uso, não é demais? (Fonte)

Projetos antigos transformados em uma linda toalha de retalhos. (Fonte)

Seu velho jeans transformado em um avental old style pro maridão fazer o churrasco de domingo... é muito amor!

O que não faltam são idéias! Então vamos resgatar antigos tecidos e transformar em novíssimas belezuras!

Beijoca!
Ana

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails