29 de mai de 2015

Look do dia: Top Cropped!

Olá!

Uma das peças que eu queria muito fazer desde que vi pela primeira vez foi esse top cropped. O modelo Astoria está na revista Seamwork de abril e chamou minha atenção de cara por ser curto, mas não curto o suficiente para mostrar a barriga. Ele combinava lindamente com uma saia levinha e rodada, que está na mesma edição.

Na mesma hora resolvi que queria ter um top desses, de moletom, como vi na modelo. Mas antes de comprar o moletom cinza mescla super básico eu encontrei essa malha maravilhosa na Dona Dani. Então resolvi fazer dois, rs!

Uma questão que estou procurando resolver no meu armário é que eu tenho várias camisetas, vários casaquinhos (que estou enjoada deles, aliás) e depois são só casacos mais pesados. Não tenho quase nada mais quentinho que não seja casaquinho, que não seja blusa aberta, por isso a produção recente de blusas de manga comprida ou 3/4.

A malha que comprei na Dona Dani chama-se Suit Wall (composta por 55% Viscose, 24% Poliamida, 18% Poliéster e 3% Elastano), tem essa estampa gráfica bem pequena e um leve brilho na parte cinza. Imaginei uma blusa mais arrumadinha com ela, por isso as mangas compridas.

A blusa veste super bem, mas fica bem justa no corpo. Então achei que seria uma boa usar com partes de baixo mais amplas, com cintura alta (por motivos óbvios de não mostrar a barriga existente, rs). O que eu achei mais legal é que este é um tipo de roupa que eu não imaginava que queria usar. A blusa acabou sendo interessante exatamente por acabar na linha da cintura e não acima. Assim, nada que eu não queira vai aparecer!

Depois de contar o raciocínio todo por trás da blusa, vamos ao look?


 


Top Cropped: Malha Suit Wall comprada na loja Dona Dani (SP), molde Astoria da revista Seamwork de abril/2015 (EUA).
Saia plissada: American Apparel
Bota: Luisa Perea
Anel: Camila Klein
Batom: Berry Noir (Contem 1g)

Dias depois, combinei o top com uma saia godê de algodão levinho. Esta saia andava parada por não ter uma blusa que disfarce o cós dela que não é muito bonito. Eu fiz alguma coisa de errado nela e não deu para colocar um cós bonitinho e zíper. Aí apelei para o elástico, mas não ficou o cós mais bonito do mundo. Não é que essa blusa resolveu direitinho? E eu adorei combinar com tênis!



Top Cropped: Malha Suit Wall comprada na loja Dona Dani (SP), molde Astoria da revista Seamwork de abril/2015 (EUA).
Saia godê: tecido de algodão Liberty (Londres), renda de algodão Tissus Reine (Paris)
Tênis: Nike

Estou muito feliz por ter feito esta blusa! 
Gostou?

Beijos!

28 de mai de 2015

Por que costurar as próprias roupas?

Olá!

Quando a Tati me convidou para dar aulas de Corte e Costura na Fon Fin Fan (já viu o post sobre o primeiro projeto que vou ensinar? Está aqui!), eu imaginei que poderia passar algo a mais do que só chegar lá no ateliê com os moldes na mão e mandar ver na produção da peça em questão junto com as alunas.

Algumas coisas eu vou compartilhar aqui também, como a minha reflexão (totalmente pessoal) sobre a pergunta do título do post.

A gente vive num mundo de muita oferta de roupas. De tudo que é modelo, tecido e cor, também de uma grande variedade de preços. E ainda assim é muito possível não achar algo que sirva ou que tenha o caimento legal o suficiente para nos deixar contente.

Comecei a escrever este post no shopping, semana passada, depois de comprar meias para fazer pilates (eu gosto mesmo é de fazer descalça, mas está esfriando e logo nos pés é onde sinto mais frio). Aproveitando que estava lá, dei uma circulada em algumas lojas e provei algumas roupas.

Apesar de ter emagrecido um bom tanto nos últimos meses, boa parte das roupas do shopping ainda não me serve, principalmente na parte de baixo. Experimentei três calças diferentes e nenhuma me serviu. Experimentei uma saia de couro (ando com ideia meio que fixa de ter roupas legais de couro neste inverno), que até serviu mas não ficou legal, tinha que ser um tiquinho maior para marcar menos a barriga. Comprei um shorts bonito e bem acabado, mas está justinho e estou contando com alguns quilos a menos no próximo verão para aproveitá-lo bem, apesar de já ter usado assim mesmo no final de semana.

Quero, por exemplo, uma calça vinho para usar neste inverno. Ou a calça não servia ou eu não gostava da tonalidade (tem vinho que, pra mim é tão fraquinho que chega a parecer um rosa e eu quero um vinho bem escuro e forte, tipo a cor Marsala que tanto se fala ultimamente).

Estou dando estes exemplos recentes pois, em outros tempos, era provável que eu saísse chorando, porque nada me serviu e eu queria apenas me dar um agrado. Ano passado isso aconteceu comigo, quando procurei muito por um macacão jeans e não consegui comprar. Chegou um momento em que resolvi deixar de lado, pois ter ou não ter uma roupa não pode significar tristeza ou sofrimento.

Na verdade, atualmente eu acabo saindo das lojas com ideias do que costurar, pensando onde posso buscar os moldes e tecidos ideais para o que eu tenho imaginado. Quando eu volto para casa eu repasso as cores e as modelagens que chamaram a minha atenção (mas que as peças prontas não eram ideais por algum motivo) e vou atrás de fazer isso do meu jeito.

Inspirações de cores para o outono/inverno. 

E não pense que isso de costurar as próprias roupas só se aplica para quem está acima do peso como eu: também se aplica às pessoas magras ou bem pequenas, que têm problemas com os menores tamanhos, com quem está dentro da grade "normal" mas não encontra nada que agrade.

Para mim, roupa, cabelo e maquiagem é o equivalente a brincar de boneca para uma mulher adulta. A cada dia a gente pode ser o que quiser e a coisa que mais estraga a "brincadeira" é não encontrar algo que agrada. Sim, para mim o processo de vestir tem que ser uma grande brincadeira, tem que ser divertido e servir para facilitar a nossa vida e não limitar ou entristecer.

Procuro moldes e depois os tecidos. Primeiro eu vejo se tenho em casa, só depois disso eu vou na loja de tecidos com uma lista bem definida. E como eu não me prendo muito a "modinhas", o tempo para fazer isso tudo inclusive faz com que eu decida se eu preciso mesmo daquela peça. Já desisti de projetos que eu achava que seriam imperdíveis, mas que não eram no fim das contas.

Esta é só uma parte do que me faz costurar minhas roupas. A principal delas é a auto-estima. Quando eu uso uma roupa que eu mesma fiz, por mais simples que seja, ela é muito especial, é única e eu me sinto muito bem por ter feito a peça e sair usando para viver a minha vida. Uma simples blusa de moletom (por mais que o modelo seja diferente do "basicão") passa a ser a blusa de moletom mais legal que eu tenho.

Top de moletom feito por mim. 
Foi rápido de fazer e o resultado me deixou mais feliz do que qualquer coisa comprada no shopping.

Fora que o exercício de auto-estima começa bem antes de usar a peça pronta. Ele começa no aprendizado da costura, quando a gente começa a se entender com os moldes, com os acabamentos, com a escolha dos tecidos e dos projetos a serem costurados. Cada etapa aprendida e realizada sempre me deixa muito feliz. A peça prontinha para vestir é uma consequência do exercício todo e sair com ela vestida, feliz da vida, é o que completa a experiência toda. Ficar bonita, vestir algo único e feito através das nossas próprias capacidades e das nossas próprias mãos é bom demais!

Encerro este texto com esta citação vinda do Instagram da McCall Pattern Company, uma empresa super tradicional de moldes:

"Eu não estou aqui para ser mediana.
Eu estou aqui para ser incrível.
E é por isso que eu costuro minhas próprias roupas."

Eu estou aqui para ser incrível!
E você?

Beijos e costuras incríveis!

27 de mai de 2015

Izzy Top e Vestido - Molde gratuito com tutorial!

Olá!

Hoje vou falar de um molde e tutorial que eu amo muito! Ele é lindo, prático, versátil e fácil de fazer... quer mais? Ok, ele é grátis! Perfeito, não?!

Sigo o blog da autora dessa belezura, o "Climbing the Willow" que, entre outros moldes e tutoriais, disponibilizou o Izzy Top and Dress em duas versões: de 18 meses a 5 anos e de 6 a 12 anos, não é demais?

Além de você poder fazer esse projeto como top ou como vestido, a Teri também explica direitinho no tutorial, como colocar elástico na barra dessa peça, transformando-a em outro modelito mais que fofo!



Descobri esse molde quando ela ainda estava em fase de teste e participei como “provadora”(tester em inglês, não sei como fica em português) do tamanho 3 e assim fiz a minha primeira versão.

Geralmente, quando você participa como tester de um molde, a autora tem envia ele sem qualquer custo, te dá um prazo para fazer a peça, enviar de volta para ela fotos da peça terminada e uma resenha simples sobre como foi a construção da peça. Em algumas vezes que participei desse processo, tive também que responder a um questionário, que basicamente fala sobre as dificuldades e facilidades que você enfrentou no desenvolvimento do projeto e se restaram algumas dúvidas.

Após esse teste, as autoras geralmente disponibilizam o molde para a venda, com algumas modificações, segundo as dúvidas que surgiram entre os participantes do teste. Mas nesse caso, fiquei surpresa quando a Teri disponibilizou todas as versões (e olha, dá um trabalhão fazer a gradação do molde!) de graça! Muita generosidade!

Quanto ao Izzy, ele é impecável, não tem o que falar! Recomendo a todas as pessoas que querem começar na costura pois ele é simples de fazer e muito bem explicado. O tutorial é rico em imagens, basta acompanhá-las e você nem precisa saber inglês para fazer esse projeto!

Por ser uma peça dividida em duas partes (o corpete e a saia, seja ela curta para o top ou longa para compor o vestido) o bacana é brincar com estampas diferentes, o que dá um ar super alegre e infantil para o projeto!

Essas são as minhas versões desse molde que fiz, como top e como vestido, nos tamanhos 3 e 4 pois a Julia já cresceu.

 

 



  
Frente

 
E costas!

Não ficaram lindos? Gostaram?
Quem fizer um desses, envia a foto pra gente, vamos adorar conhecer o projeto de vocês!

Beijoca,
Ana

26 de mai de 2015

Minha máquina de overloque - Singer Ultralock 14SH754 - 1 ano depois

Olá! 

Já tem um pouco mais de um ano que comprei minha máquina de overloque, carinhosamente chamada de Encantada, rs!

Assim como já fiz com a minha máquina de costura (aqui e aqui), estou aqui hoje para contar como foi o primeiro ano de uso da overloque. Acredito que seja legal para quem está pensando em adquirir uma máquina como essa ter a informação de como ela se comporta ao longo do tempo!

O primeiro post que fiz sobre a overloque, com poucos meses de uso, está aqui. Vale a pena dar uma olhada pois lá eu conto como escolhi esta máquina e também tem um vídeo muito útil na hora de passar as linhas e fios. A Ana também tem uma máquina destas e recentemente deixou as primeiras impressões dela a respeito da máquina neste post.

Bom, vou seguir os mesmos pontos que usei para avaliar a máquina de costura, acredito que assim eu não esqueça nada!

 
Minha Singer Ultralock 14SH754.

Instalação:
- A instalação foi bem simples e não tive nenhum problema nessa parte. No meu quartinho de costura eu deixei uma tomada exclusiva para a máquina.

Manuseio:
- O manuseio inicial não foi muito simples, mesmo que eu já tivesse usado uma overloque antes. Deixei para fazer isso depois de dar uma boa olhada no manual de instruções e no vídeo da Singer que está no outro post com link indicado acima. Atualmente já está sendo mais fácil esta parte, fui pegando o jeito.
- Os ajustes de tensão das linhas e fios eu faço conforme necessário em cada projeto, testando sempre em um retalho. Se vou unir dois ou mais tecidos com a máquina, testo desta forma. A máquina veio com um retalho escuro costurado na borda com linha branca. Ele é minha referência para ver se os pontos estão corretos ou não.
- Tenho problemas toda vez que preciso usar os fios vermelhos que eu tenho em casa. Acredito que eles não sejam de boa qualidade ou mesmo que estejam velhos. Eles quebram muito, ao contrário do que acontece com os fios de outras cores que eu usei por aqui. Para não ter fios de overloque em uma infinidade de cores (até porque precisa ter dois cones de cada cor), eu só tenho aqui em preto, natural e vermelho. Com os fios da cor natural e da cor preta eu nunca tive problemas.

Acessórios:
- A pinça que vem com a máquina é essencial para a passagem de fios e linhas, uso sempre.
- A chave de fenda bem pequena que veio junto é necessária para a troca de agulhas, que já fiz e foi bem simples.
- A única ferramenta que não usei é uma peça que serve para isolar um dos loopers (laçadores, que ficam na parte de dentro da máquina e usam fios apropriados), pois sempre deixo os dois em uso com seus respectivos fios.

Manutenção e problemas:
- Neste primeiro ano eu não tive nenhum problema com a máquina a ponto de ter que levá-la para uma assistência técnica, o que é ótimo.
- Segui o que estava no manual a respeito de limpeza e lubrificação da máquina. O processo é bem simples. Eu uso o mesmo lubrificante para todas as máquinas de casa e o pincel pequeno que veio com a Novinha eu uso para limpar a overloque também.
- Semana passada a máquina estava fazendo uns barulhos pontuais e aí uma das linhas quebrava. Depois de parar tudo para limpar e lubrificar a máquina, aproveitei para trocar as agulhas dela, o que eu nunca tinha feito. A máquina voltou a funcionar perfeitamente.
- A lâmpada nunca queimou, mas no manual explica como trocar.

Dúvidas:
- Eu tive muita dificuldade para acertar a passagem dos fios e das linhas, assim como acertar a tensão de cada um. O manual possui um bom tanto de informações, mas o vídeo da Singer e o retalho com o exemplo do ponto perfeito é que mais me ajudou. Hoje em dia está sendo mais fácil o manuseio.

 
Três camadas de moletom fino sendo costurados com a overloque. 
Usei dois fios e duas linhas.

Avaliação geral:
- A máquina é resistente, forte e muito estável, não apresentou nenhum problema. 
- Não é das mais práticas para levar de um lugar a outro por ser um pouco pesada, mas possui uma alça para transporte. 
- O ponto fraco inicialmente foi a passagem de fios e linhas, assim como o ajuste das tensões, mas hoje em dia não tenho mais problemas.
- Neste período costurei principalmente malhas com esta máquina, o resultado é sempre muito bom, tanto sendo malha mais fina ou mais grossa. Cheguei a costurar três camadas de malha com ela e deu tudo certo!
- Usei a máquina para fazer acabamentos de tecidos planos, normalmente passando uma camada só de tecido e deu tudo certo também. Para tecidos muito delicados, preferi usar um ziguezague fininho, mas hoje em dia eu tentaria fazer o acabamento na overloque também.
- O uso de uma máquina como esta não é tão simples quando o uso de uma máquina de costura, mas está cada vez mais fácil. A manutenção e a limpeza têm sido fáceis e a máquina atende bem o que eu procurava.

 
Top de moletom produzido com a overloque. 
Apenas os acabamento dos punhos e do decote foram feitos em outra máquina.

Espero que seja útil!
Beijos!

25 de mai de 2015

Costuras da Semana!

Olá!

Essa semana foi de costuras mais rápidas em casa, para equilibrar com os trabalhos do Patchwork em que eu andei me enrolando, rs!

Consegui terminar o meu top Coco, de malha de linha. Minha mãe disse que parece um bouclê. A blusa ficou uns dias parada pois eu cismei que ela ficaria transparente demais para o meu gosto. Depois que deixei a cisma de lado (ela é levemente transparente sim, mas como não é muito justa, acaba não ficando escandalosa, rs!), corri para terminar a peça.



Aproveitei para encurtar um pouco as mangas, pois quando fiz essa mesma blusa com mangas 3/4 do jeito que está no molde, eu achei que as mangas ficaram muito compridas. Agora fiquei satisfeita!


Terminei a blusa num dia e já estreei no outro, com uma saia de mousseline que não usava faz tempo. O desafio do Me Made May colocou a minha cabeça pra funcionar mesmo, rs!

Depois, fui fazer mais um top cropped, desta vez de moletom. Quando vi o modelo na revista Seamwork eu tive certeza que queria um assim!


Fiz rapidinho numa tarde, só deixei com mangas 3/4, para diferenciar um pouco do primeiro top cropped que fiz com as mangas compridas.

Como o moletom tem muito menos elasticidade que a malha que usei no primeiro top, fiz em um tamanho maior. Assim também vai dar para usar uma outra peça por baixo, pois o primeiro ficou bem justinho.





 

A ideia é aplicar rendas nessa peça, assim como eu fiz tempos atrás com uma camiseta que eu amo! Mas eu não esperei colocar a renda para estrear, logo mostro por aqui!

Na aula de Patch, segui com os trabalhos em chevron para fazer um bolsão para guardar a base de corte e réguas. Por enquanto, tenho o meu chevron prontinho para ser quitado para mostrar:

 

No curso de modelagem, a primeira saia reta que fiz serviu direitinho na boneca, fiquei muito feliz! Os estudos prosseguem e eu quero nesta semana traçar uma base de saia com as minhas medidas!

 

Por enquanto é isso!
Beijos e boas costuras!

22 de mai de 2015

Aulas de Corte e Costura na Fon Fin Fan - Saia Evasê!

Olá!

Finalmente vou revelar o segredo de uma peça que apareceu apenas em partes aqui no blog.
O primeiro projeto das aulas de corte e costura na Fon Fin Fan será uma saia evasê!



A saia evasê é um clássico ótimo para ter no armário: nunca sai de moda, é muito versátil e feminina!

No curso você aprenderá a tomar medidas, copiar moldes, fazer ajustes e cortar o tecido.
A saia possui pences na frente e nas costas, cós reto estruturado com entretela e fechado com botão, além de zíper invisível lateral.

Se você já sabe costurar à máquina, pode vir participar! Todas as etapas da saia serão ensinadas!
Se você ainda não costura, você pode participar do curso inicial de costura, confira mais informações aqui.

Durante os encontros também entramos no tema de fazer nossas próprias roupas, como escolher tecidos, como usar nossa máquina doméstica para deixar tudo bem feito, além de dicas de estilo para tirar o máximo proveito da peça.

As aulas acontecem num ambiente super gostoso e bem equipado, o café do intervalo sempre está quentinho, são encontros de costuras deliciosos! Além de sair com uma saia costurada por você, com as suas medidas, você também leva o seu molde para fazer mais peças!

As aulas acontecerão nas seguintes datas:
Manhã - das 9h às 12h - dias 11, 18, 25/06 e 02/07
Tarde - das 14h às 17h - dias 11, 18, 25/06 e 02/07
Noite - das 19h às 22h - dias 10, 17, 24/06 e 01/07.

O investimento é de R$ 200,00 por participante, com pagamento em dinheiro ou cartão.

Você precisará trazer (ou comprar lá na Fon Fin Fan):
- 1,5m de tricoline sem elastano
- 1 zíper invisível de 25cm (ou maior)
- 1 botão de 2cm de diâmetro
- 1m de entretela colante própria para cós

Além disso, o seu kit de costuras precisa conter (estes itens também estão disponíveis para venda no ateliê):
- 3 folhas de papel de seda
- Papel carbono para tecido
- Tesouras para papel e tecido
- Alfinetes com cabeça de vidro ou para patchwork
- Giz ou caneta para tecido
- Agulha de mão
- Desmanchador de costura/abridor de casas
- Cola bastão ou durex

Para deixar todo mundo com vontade de usar uma saia evasê por aí, seguem algumas combinações:

Saia evasê com regata, camisa jeans amarrada e sapatilha

Saia evasê com camiseta, tênis e jaqueta.

Saia evasê com regata, blusa de linha e espadrilles com plataforma.

As inscrições serão feitas diretamente na Fon Fin Fan! Para maiores informações, ligue para (11) 5666-5065 ou envie email para contato@fonfinfan.com.br

Vamos costurar juntas?
Beijos!

OBS: As minhas aulas de corte e costura na Fonfinfan aconteceram apenas em 2015. A partir de 2016 uma nova professora assumiu as aulas, com um formato próprio. Para maiores informações, entre em contato com a Fonfinfan.

21 de mai de 2015

Mais looks do #mmm15

Olá!

Aqui estou eu para mostrar mais dez dias do desafio Me Made May deste ano. Então, à medida que foi esfriando, eu fui tendo problemas, rs! A coisa toda de não ter roupas para o frio que me servissem realmente deixou o desafio mais desafiador, hehehe!

Se fosse um "Me Made January" seria tranquilo pois eu tenho tantos vestidos que daria conta, junto com shorts e blusas fresquinhas. Por outro lado, ficaria até fácil... Mais ou menos nessa época do ano passado, eu costurei quatro saias novas e usei muito, deram conta do inverno e até das estações seguintes (já que duas eram de malha).

Neste ano, felizmente, estão todas enormes (vivaaa!) então meio que voltei à estaca zero, por isso a falta de variedade nas partes de baixo dos looks.

Além das calças compradas faz tempo que voltaram a servir (duas jeans e uma de veludo) e minhas duas amadas pantalonas de malha, coloquei na minha lista de projetos costurar três saias novas (uma de malha, uma de sarja e uma de couro fake) e uma jardineira/macacão jeans. As peças que estão grandes eu guardei para ajustar num momento futuro.

Isto posto, vamos aos looks? Espero que goste!

 Dia 11 - Pantalona de malha cinza chumbo e lenço costurados por mim. 
O lenço e os tênis estampados deram uma animada no look liso.

Dia 12 - Usei uma das minhas blusas Taffy (esta é de laise) para incrementar a combinação básica "blusa branca + jeans + tênis"!

Dia 13 - Repetindo o meu vestido Coco de malha, mas para uma produção mais quentinha, com legging, bota e casaco. Adorei!

Dia 14 - Lá estava eu usando minha jaqueta bomber mais uma vez. 
Neste dia eu fiquei costurando em casa, mas saí para comprar linha. 
Para esta saída perto de casa usei também meu porta celular com bolso para o cartão/dinheiro que fiz nas aulas da Fon Fin Fan!

Dia 15 - Mais um dia vestindo calça jeans e tênis, mas com a camiseta cinza mescla que incrementei faz tempo com uma renda creme! 

Dia 16 - Fui para o curso de modelagem com o meu vestido Laurel, combinado com meia calça grossa e botas!

 Dia 16 - Na mesma data, saí com o marido para uns drinks e comidinhas maravilhosas! 
Aproveitei para usar a minha blusa de crepe de seda com mini saia!

Dia 17 - Eu e o marido saímos para almoçar e o escolhido foi um dos meus vestidos Crepe! Acessórios e batom entre rosa bem forte e roxo para tudo ficar bem colorido!

Dia 18 - Fiquei em casa, entre os trabalhos de casa e do blog o dia todo. 
À noite eu assisti minhas séries queridas. Apelei mais uma vez para minha calça tipo pijama!

Dia 19 - Eu tentei evitar, mas chegou o dia de repetir este vestido que tanto gosto. 
Se bem que eu já estava sentindo falta de usá-lo, rs! 
Na verdade, nos últimos dias desse desafio, eu acho que vão rolar outras repetições...

Dia 20 - Luke resolveu que queria também sair na foto, rs!
Terminei mais uma blusa Coco na véspera e já saí usando, adorei!

Em saídas rápidas ou perto da hora do almoço eu aproveitei para usar peças mais fresquinhas, pois logo de manhã e à noite está um tanto mais frio e já temos que sair mais preparados...

Aproveitei uma arrumação rápida no armário que fiz ontem para separar algumas peças que ainda não usei e que podem ser boas opções para as temperaturas atuais. Fiquei mais animada para os últimos 10 dias de desafio!

Gostou? Espero que sim!
Beijos!

20 de mai de 2015

Primeiros passos no Crochê!

Oi, gente!

Já faz um tempo, aliás muuuuuitíssimo tempo que eu tenho vontade de aprender a fazer crochê. Desde pequena vejo minha mãe e principalmente minha avó trabalhando com aquela agulhinha e ficava doida de vontade de tentar.

Acontece que eu sou canhota e nunca ninguém conseguia me ensinar, o que me desanimou por muitas vezes. Até que eu encontrei os vídeos do Youtube de crochê para canhotos.

Além disso, tive outro super incentivo que foi receber de herança uma linda agulha de crochê artesanal, feita pelo meu tataravô (post sobre a agulha e sobre os vídeos aqui). Tinha obrigação de aprender, né gente?!

Desde então, tenho tentado bastante e vim mostrar a vocês meus resultados!

Comecei por praticar os pontos: muitas correntinhas, fiz a primeira peça só com pontos simples, um cachecol que estava devendo para minha sobrinha.


Depois comecei a praticar o ponto alto, também fiz um cachecol (viva o frio, né gente?!) e achei que ficou ainda melhor que o de ponto baixo... mais fofinho e flexível.



Fiz uma amostrinha misturando os pontos alto e baixo e ficou bem legal! Pena que não projetei direito e como tinha pouca lã ficou só na amostrinha e treinamento mesmo.



Depois de treinar esses pontos parti para os quadradinhos que é o que eu tinha vontade de fazer. Não gostei muito da irregularidade dos pontos, mas como estou começando, o negócio é treinar né?!



Achei muito legal conseguir fazer os quadradinhos da vovó, principalmente porque existe um projeto aqui em São Paulo que eu gostaria muito de ajudar. Ele se chama "Laços Unidos contra o Frio", é uma reunião de pessoas que fazem crochê e tricô voluntário, para produção de mantas a serem doadas aos moradores de rua que, nessa época do ano, passam por tempos difíceis de fome e frio.

Conversei com uma amiga que participa e fiquei sabendo que a próxima reunião acontecerá dia 24 de maio, no próximo domingo. Bora participar e ajudar?



Espero que vocês se animem como eu, pois além de aprender uma manualidade nova, poder ajudar quem precisa me parece o programa perfeito!

Conto com vocês!

Beijoca,
Ana

19 de mai de 2015

"A vida não tem feriado" ou... um post para contar novidades!

Eu li a frase que coloquei como título deste post num tapume de um terreno na Teodoro Sampaio. Não sei quem é o autor, mas acho muito verdadeira. A gente não pode esperar o próximo feriado, o próximo fim de semana ou as próximas férias para fazer algo diferente ou significativo na vida.

A vida acontece todos os dias, seja a vida que a gente escolheu viver ou a vida que a gente deixou acontecer pra nós mesmos.

Nos tempos de faculdade, meu sonho era estagiar numa empresa grande. Se fosse gigante, melhor ainda. Lembro dos processos seletivos de mil etapas que participei, das dinâmicas de grupo que eu nunca entendi (desculpe quem é de RH, mas esta é a minha visão de participante, de quem viu coisas muito forçadas acontecendo nessas ocasiões).

A gente tenta esse caminho porque parece ser o melhor (e quase que o único) a seguir, de estudar para fazer carreira em uma multinacional.

No momento certo do curso, estagiei na área de Marketing de uma multinacional de tecnologia da informação. Foi um período de um ano e meio muito bom, onde aprendi muito mas não tinha maturidade suficiente para equilibrar a conclusão do curso (a qual me dediquei 200%) e o trabalho, por isso não fui efetivada.

Foi a minha primeira grande decepção no mundo corporativo. Gente, eu estava me matando de estudar exatamente para absorver o máximo de conhecimento e usar isso tudo no trabalho, ao menos era esse era o meu pensamento. Continuei na luta por alguns anos trabalhando em outros lugares, sempre com a sensação de não conseguir me encaixar.

Hoje eu vejo como não se aposta numa educação voltada para o empreendedorismo, o modelo atual é feito para formar montes de pessoas todo semestre nas faculdades para que elas sejam empregadas em grandes empresas. Também não se valoriza o ensino técnico, tido por nossas bandas aqui como algo de menor valor. Só que: 1. não tem vaga para todo mundo nas grandes empresas; 2. o formato do ensino acadêmico não funciona pra todo mundo. 

Enfim, tempos depois fui dar aulas - de Marketing e Vendas - e nossa, que sentimento bom! Usei meu conhecimento e meu tempo de mercado para algo que considero maior: compartilhar, passar o que sabemos adiante para que outras pessoas aproveitem em suas vidas (e em seus negócios, neste caso).

Depois de ter saído da área de Marketing, só senti novamente essa realização aqui com o blog, já que este é um espaço onde posso compartilhar de tudo um pouco sobre costuras e manualidades, sobre o cotidiano de uma atividade que acabou mudando a minha vida nos últimos anos.

Feito pela Lu Gastal, fica na porta do meu quartinho. 
Para lembrar todos os dias!

Desde 2011, eu fui aprendendo a costurar e produzi no meu tempo e do meu jeito, procurando aproveitar ao máximo essa fase. Eu sabia que em algum momento eu passaria a trabalhar com a costura de alguma forma, de preferência não produzindo para vender (escrevi sobre isso aqui).

Foi quando no começo deste ano surgiu o convite da mestra Tati para eu dar aulas de corte e costura na Fon Fin Fan. Era o que eu imaginava fazer para passar a trabalhar com costura! Aí que eu vi que uma grande coisa estava para acontecer, enquanto eu vivia a minha vida de todos os dias.

E, em mais um capítulo da novela da minha vida "coincidências não existem", no mesmo dia em que comecei a escrever este post - estou "matutando" este texto há tempos! - eu li este texto. Daqueles que a gente lê e pensa que gostaria de ter escrito, tamanha a identificação.

Até eu começar a costurar, a minha vida era essa aí do texto. Eu às vezes não me dou conta do quanto eu consegui direcionar a minha vida para um outro caminho, apesar de sim, ainda estar presa a algumas "convenções" dessa nossa geração.

Nestes primeiros meses do ano, eu vivi momentos muito difíceis juntos de momentos muito bons. Enquanto estávamos na luta pela saúde do meu Astor, surgiu o convite da mestra Tati para eu dar aulas. Entre sessões de quimioterapia, consultas e dias em casa cuidando do meu bichinho, pesquisamos métodos, formatos de aulas, materiais, estrutura.

Meu Astor partiu em abril e isso realmente me marcou e ainda dói muito. Não tem um dia sequer que eu não pense nele. A saudade é enorme! E provavelmente eu não fiquei ainda pior com a perda do meu filhote porque eu tinha esse plano para tocar. Era a minha maior motivação para seguir em frente.

Tati, Wagner e dona Lucia respeitaram o meu tempo de correria com o Astor e respeitaram o meu período de luto, eles confiaram em mim. E por isso eu só tenho a agradecer! Vi ali que são parceiros incríveis com quem desde o começo tem sido incrível trabalhar e amigos muito queridos também.

Depois de tanto blá-blá-blá (rs), porque eu queria mesmo contar tudo isso antes, eu anuncio oficialmente que a partir de junho eu estarei à frente das oficinas de corte e costura na Fon Fin Fan. Desde o começo do ano o ateliê está dedicado somente aos cursos e oficinas, aumentando inclusive as opções. Preciso contar tudo num outro post!

Serio, é o trabalho que eu pedi a Deus: pertinho de casa, num ambiente super gostoso (eu comprovo isso sendo aluna há dois anos) e com pessoas incríveis.

Tive a liberdade de montar as aulas do meu jeito onde vou passar como lidar com moldes, escolher tecidos, preparar as peças e dar um bom acabamento para elas, além de dicas de estilo (sim, porque a gente tem que tirar proveito máximo das roupas que fizemos com tanto carinho).

Vou fazer logo um super post sobre os cursos da Fon Fin Fan mas, desde já convido todo mundo a curtir a página do ateliê no Face e conferir as informações dos cursos no site. Quem sabe a gente não se encontra por lá, né?!

É um recomeço maravilhoso na minha vida, estou muito animada e ansiosa. Estou também muito feliz por compartilhar isso com você que sempre lê o blog!

E bora costurar ainda mais!
Beijos e boas costuras!

OBS: As minhas aulas de corte e costura na Fonfinfan aconteceram apenas em 2015. A partir de 2016 uma nova professora assumiu as aulas, com um formato próprio. Para maiores informações, entre em contato com a Fonfinfan.

18 de mai de 2015

Costuras da Semana!

Olá!

Gente, a semana passada voou pra mim! Aliás, eu já disse em outros posts que sinto como se estivesse sendo atropelada por 2015. Às vezes por bem, às vezes por mal.

Enfim, entre uma coisa e outra para resolver, fui correndo atrás das minhas costuras. Na aula de Patchwork terminamos a base com bolsos para a minha overloque. 

Base com bolsos pronta!

E a Encantada com capa, adorando montar chevron de formas diferentes!

Agora não vou mais precisar procurar as coisas dela (como pinça ou agulhas) nos bolsos da base da Novinha!

O projeto agora é um porta base de corte e régua, sempre tão difíceis de guardar por conta do tamanho. Já estou pensando onde vou colocar a minha peça, acho que colocarei na lateral da mesa de corte ou então atrás da porta.

Em casa, tive tempo para cortar uma blusa nova e começar a costurá-la, mas ainda não consegui terminar.

Composição bonita na hora de escolher linha para costurar a blusa nova!

Na aula do Senac, começamos a colocar a mão na massa! Já alfinetei uma "boneca", entre outras coisas legais, e estamos começando a traçar a primeira das bases do curso. Fico super cansada no final, por conta das horas seguidas de aula, mas muito satisfeita!

#estudakatiaestuda

Por enquanto é isso, mas continue ligado aqui no blog, pois nesta semana tenho uma novidade muito legal para contar!

Beijos e boas costuras!

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails